Carne de onça do Bar do Dante, um dos 38 exemplares a serem saboreados no festival

Patrimônio cultural imaterial de Curitiba por ato da Câmara de Vereadores, com origem controversa, mas que remete basicamente a três tradicionais endereços da cidade – o restaurante do antigo Clube Concórdia, onde era elaborada com o nome de ‘hackepeter’; o restaurante Embaixador, de Leronardo Werbitzi, o Onha, também famoso pela feijoada; e o Buraco do Tatu, na rua Monsenhor Celso, cujo proprietário, Cristiano Schmidt, era também presidente do extinto Britânia Esporte Clube – a Carne de Onça ganha, entre 11 e 29 de setembro, seu quarto festival na capital paranaense.
Iniciativa de Sérgio Medeiros, titular do portal Curitiba Honesta – e da escola de gastronomia de mesmo nome – o 4º Festival de Carne de Onça de Curitiba vai reunir 38 bares, cada um servindo o petisco em seu endereço, ao preço único de R$ 14.
No lançamento do evento, na noite da segunda-feira 2/9, Medeiros anunciou a criação da Associação dos Amigos da Carne de Onça e o projeto de buscar junto ao INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial), órgão do governo federal, a condição de “indicação geográfica” para o petisco, que leva carne moída, cebola branca e cebolinha verde picadas, sal, pimenta, azeite de oliva e outros condimentos sobre uma fatia de broa preta.
A relação dos bares participantes é a seguinte, com os endereços e preparos listados em curitibahonesta.com: A Ostra Bêbada, Amarillo, Armazém Santa Ana, Aurora, Bar do Dante, Barbaran, Baroneza, Bartelli, Bávaro, Boa Baroa, Boteco Divina Béra, Burguer Bar, Cabana, Canabenta, Cartolas, Celeiro, Charles Burguer, Cidadão do Mundo, Dom Cervantes, Fritz, Garden, Green Gate, Hamburgueria Água Verde, Hog Smash Burger, Jabuti, Jokers, Kanavial, Maniacs Cabral, Na Casa do Ganso, Pezzo, Prefiro Aqui, Quermesse, Quintal M. Flor, Quituto, Silzeus, Take Your Beer, Titi Taka e Zero 41 Restobar.