Com uma média de crescimento de 18% ao ano, a empresa vem se expandindo para outras regiões do Brasil e conquistando novos clientes

Comemorando 20 anos de história, a Cargolift tem bons motivos para celebrar. Com uma média de crescimento de 18% ao ano, a empresa vem se expandindo para outras regiões do Brasil e conquistando novos clientes. No Nordeste, as cidades de Goiana, em Pernambuco, e Camaçari, na Bahia, são as primeiras a receber filiais da Cargolift. “Essa era uma das principais metas da empresa para esses 20 anos e marca um grande passo na nossa trajetória”, afirma o diretor presidente da Cargolift, Markenson Marques. No Sudeste, a cidade de Contagem, em Minas Gerais, também vai contar com uma nova filial da empresa, com inauguração oficial prevista para o mês de novembro.

Novidades também estão planejadas para a região Sul, com a nova filial em Itapoá e um novo Hub para containeres e Cross-Docking em São José dos Pinhais, a fim de aumentar a competitividade da Cargolift no Comércio Exterior, fortalecer a continuidade no transporte de contêineres e oferecer soluções logísticas aos importadores e exportadores que utilizam os portos do Paraná e de Santa Catarina. Com espaço próprio e previsão de inauguração para janeiro, a obra para a filial de Itapoá tem como diferencial o material utilizado na construção: o Light Steel Frame – sistema construtivo sustentável – que vem de encontro ao pensamento ecologicamente correto da Cargolift.

Com um investimento de cerca de R$ 11 milhões, o volume de negócios esperado para essas novas filiais é de cerca de R$ 36 milhões ao ano. Serão 3 milhões de toneladas a mais transportadas anualmente, e a previsão é de que sejam gerados 150 novos empregos com essa expansão.

Novos contratos

Os desafios do setor de transportes e da economia brasileira não inibem o objetivo da Cargolift de crescimento. “A estratégia durante esses anos foi manter o foco nas inovações tecnológicas e na prestação de serviços personalizados a um grupo seleto de clientes, além de realizar o crescimento regional integrado para ganhar em produtividade com os ativos, reduzindo assim nosso custo operacional com as sinergias entre contratos e fluxos”, explica o diretor presidente.

Assinaturas de novos contratos são parte fundamental dos próximos resultados a serem alcançados pela empresa. Em Curitiba, a Cargolift agora também presta serviços para a AAM do Brasil (American Axle & Manufacturing), empresa que fornece matéria-prima para montadoras. Em São Paulo, novo contrato foi assinado com a GM para Fretes de Emergência entre fornecedores nacionais e as plantas da montadora. A Cargolift também conta com novos clientes como a Mercedes Benz, para fluxos entre Sul e Sudeste com as plantas de São Bernardo do Campo e Juiz de Fora, e a Ford, para as plantas de São Bernardo do Campo e Camaçari. Todos esses contratos contemplam operações de Milk-Run – sistema de entregas de coletas cíclicas –, Line Haul – transferência de longa distância – e transportes diretos. Além disso, a empresa também firmou um contrato de parceria com a CEVA para operar o transporte Line Haul entre São Paulo e a planta da GM em Gravataí, onde este operador já faz diversos outros serviços para a montadora.

A Cargolift também assinou contrato com outro novo cliente, a Fiat de Goiana, em Pernambuco, que investiu 1 bilhão e 950 milhões para construção da fábrica, representando a maior indústria do Nordeste brasileiro.

Vencedora de dois grandes processos de concorrência realizados de fevereiro a setembro deste ano, disputados com cerca das 30 maiores empresas provedoras logísticas globais, a Cargolift faz agora as operações de Milk-Run, Cross-Docking e Line Haul, passando a ser responsável por viagens até os terminais de consolidação em Minas Gerais e São Paulo e depois pela transferência das cargas até Pernambuco.

O serviço prestado para a Fiat utiliza uma tecnologia inovadora de gestão logística, em parceria com o grupo FCA (Fiat Chrysler Automobiles). Com um investimento de R$ 500 mil, a tecnologia dá suporte para a realização de toda a gestão e acompanhamento da cadeia de suplementos, o que permite acompanhar de maneira on-line todo o sistema de chegada de serviços da Cargolift até a planta da Fiat. “A previsão é que o volume de negócios gerados pelos contratos com a Fiat, Mercedes, Ford e AAM rendam cerca de R$ 40 milhões anualmente”, afirma Markenson Marques, explicando que em 2014 a Cargolift foi seletiva para operar apenas com contratos rentáveis. “Apesar do setor onde atuamos ter registrado queda de 16%, a Cargolift está apenas 5% abaixo em relação a 2013. Já para 2015, com os novos contratos, expansão no Nordeste e investimento no transporte de containers, estamos prevendo um crescimento entre 18% e 26%, desde que a presidenta Dilma não cometa erros na condução do novo mandato em relação ao estímulo à economia e à confiança do investidor no Brasil. Para isso, é fundamental que ocorra a reforma política, com implantação do voto distrital misto, e a reforma tributária, estimulando a produção e por consequência mais empregos e renda aos trabalhadores”, conclui o empresário.