S. FED – Dário Berger é eleito presidente da Cultura e Esporte

332

Candidato único à presidência da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), o senador Dário Berger (MDB-SC) foi escolhido nesta quarta-feira (13) nos próximos dois anos. O senador Flávio Arns (Rede-PR) será o vice-presidente.

A comissão tem 27 membros titulares e 27 suplentes. Entre as atribuições da CE estão o exame de proposições sobre desportos, instituições educativas e culturais, diretrizes e bases da educação nacional, diversão e espetáculos públicos, datas comemorativas e homenagens cívicas.

Ao agradecer aos membros da comissão e assumir o comando dos trabalhos, Dário Berger pediu mudanças na grade curricular do ensino fundamental e médio de modo a atender a demanda por empreendedorismo e contribuir para o desenvolvimento. Ele também cobrou apuração dos índices de qualidade do ensino básico e manifestou intenção de ouvir na CE os ministros da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, e da Cultura, Osmar Terra.

Perfis

Nascido em 1956, em Bom Retiro (SC), Dário Elias Berger é formado em administração. Empresário, foi vereador e prefeito por quatro mandatos em São José (SC) e Florianópolis. Eleito senador em 2014 com 42,82% dos votos válidos, iniciou a vida política em 1989, quando esteve à frente da Comissão Municipal de Esportes de São José. Em 1994, elegeu-se vereador. Dois anos depois, foi eleito prefeito de São José, sendo reeleito em 2000. Em 2004, foi eleito prefeito de Florianópolis e reconduzido em 2008.

Como senador, Dário Berger relatou propostas como a medida provisória que transfere R$ 7,4 bilhões em imóveis do INSS para a União e a que tornou São Joaquim a Capital Nacional da Maçã. Presidiu a Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO) em 2017. É autor do projeto (PLS) 110/2017, que garante ao usuário acumular dados da conexão à internet por celular; do PLS 140/2017, que dá transparência à realização de procedimentos pelo SUS; e da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 58/2016, que fixa teto para salários pagos para empregados e diretores das estatais.

O professor universitário Flávio José Arns nasceu em Curitiba e tem 67 anos. É formado em letras e em direito e está na política desde 1991, quando foi eleito deputado federal. PhD em linguística, foi senador entre 2003 e 2010, ano em que foi eleito vice-governador na chapa de Beto Richa (PSDB). Entre 2011 e 2014, acumulou o cargo com o de secretário de Educação do Paraná. Presidiu a Federação Nacional das Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes), voltadas para educar crianças com deficiência. Eleito com 23% dos votos válidos no Paraná em 2018, Arns defende o fim da reeleição no Executivo e a transparência nos dados da Previdência.

 

Fonte: www12.senado.leg.br