IVAN MARTÍNEZ-VARGAS
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Sem mencionar o possível recuo do governo americano quanto ao apoio à entrada do Brasil na OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), o secretário de política externa comercial e econômica do Itamaraty, Norberto Moretti, disse nesta quinta-feira (10) que o país mantém a decisão de integrar a organização.
“O processo [de entrada à OCDE] não é simples, e não é meramente técnico, é político. Independentemente disso, mantém-se a decisão do governo brasileiro em integrar a OCDE”, afirmou a uma palestra de empresários e executivos no Fórum de Investimentos Brasil, em São Paulo.
Para o diplomata, “é via convergência regulatória crescente que nos integraremos a economia brasileira à mundial” e à OCDE.
Moretti diz que o Brasil entende que a OMC (Organização Mundial do Comércio) é importante e afirmou que os países latino-americanos defendem o tratamento especial a países em desenvolvimento, uma condição da que o governo Bolsonaro abriu mão para em troca do apoio dos EUA ao seu ingresso na organização.
O diplomata, contudo, diz que há países da região dispostos a discutir uma flexibilização das regras de tratamento especial.
O secretário especial de de Comércio Exterior, que participou da mesa de debates com Moretti, não fez comentários sobre o tema.