O Banco Central anunciou nesta quarta-feira mudanças em sua forma de atuar no mercado de câmbio, com vias a trocar posição cambial em contratos de swap tradicional por dólares à vista, formalizando novo modelo de intervenção cambial para aprimoramento do uso dos instrumentos disponíveis.

O BC informou que, de 21 a 29 de agosto, fará ofertas simultâneas de 550 milhões de dólares à vista e de igual montante em contratos de swap cambial reverso.

Será a primeira vez que a autoridade monetária oferecerá dólares à vista desde fevereiro de 2009, informou a assessoria do BC.

A atuação simultânea visa trocar, por dólar à vista, um total de 3,8445 bilhões de dólares em swaps cambiais tradicionais que expiram em outubro e que ainda não foram rolados pelo BC.

O volume eventualmente ofertado em dólar à vista e não absorvido pelo mercado será novamente disponibilizado aos agentes financeiros via leilões de swaps cambiais tradicionais “para o complemento da rolagem”, conforme informou o Banco Central.

Segundo o BC, essas operações não afetarão a posição cambial líquida da autoridade monetária.

“A troca de instrumentos ocorrerá conforme a demanda dos agentes pelos diferentes instrumentos, por meio de leilões competitivos”, disse o BC em nota em seu site.

O BC enfatizou que a atuação “não altera” sua política cambial, “pautada no câmbio flutuante”, sem prejuízo da atuação da autarquia em busca da manutenção do regular funcionamento do mercado.

“Trata-se de aperfeiçoamento no uso dos instrumentos à sua disposição para atuação no mercado de câmbio, como parte da Agenda BC#, tendo em conta as condições presentes neste momento no mercado”, completou o BC.

Os contratos de swap cambial reverso “anulam” a posição do mercado em contratos de swap cambial tradicional –aqueles ofertados pelo BC para prover “hedge” cambial ao mercado, ou seja, proteção contra a alta do dólar.

Porém, segundo a autoridade monetária, a demanda por proteção cambial via swaps cambiais diminuiu. Na contramão, houve aumento na busca por liquidez no mercado à vista. Somando-se a esses fatores “a conjuntura econômica atual”, o BC decidiu alterar o formato de intervenção cambial privilegiando o mercado spot.

Fonte: Reuters