EDUARDO CUCOLO
FOLHAPRESS

O Banco Central vai ampliar a venda de dólar à vista no mês de setembro, “tendo em conta as condições vigentes atualmente no mercado local de câmbio”.
De acordo com a instituição, a rolagem dos contratos de câmbio que vencem em 1º de novembro, no valor de US$ 11,6 bilhões, será feita por meio de leilões diários de 2 a 27 de setembro.
O BC irá oferece dólares à vista e, se não houver demanda por todo o lote ofertado, serão leiloados contratos de swap cambial para complementar a rolagem.
Nesta sexta-feira (23), o dólar subiu 1,1% e foi ao maior patamar do ano, a R$ 4,124, valor mais alto desde 19 de setembro, antes das eleições presidenciais de 2018.
Há cerca de dez dias, a instituição havia anunciado que voltaria a vender dólares das reservas à vista, o que não acontecia desde a crise de 2009. Em agosto, serão vendidos até US$ 3,8 bilhões.
As reservas do BC somam hoje US$ 388 bilhões. O valor ofertado em agosto e setembro representa quase 5% das reservas.
“Objetiva-se que todo o estoque vincendo em 1/11/2019 seja rolado ou trocado por dólares à vista, portanto sem afetar a posição cambial líquida do BC. A troca de instrumentos ocorrerá conforme a demanda dos agentes pelos diferentes instrumentos, por meio de leilões competitivos”, diz a instituição em nota.