O Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio cresceu 0,9% em julho em relação ao mês anterior (junho/10), já descontadas as influências sazonais.


O Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio cresceu 0,9% em julho em relação ao mês anterior (junho/10), já descontadas as influências sazonais. O resultado positivo do mês de julho foi puxado pela alta de 5,3% no movimento do segmento de veículos, motos e peças que se recuperou da queda de 4,1% observada em junho. As promoções conduzidas pela rede varejista do setor automotivo foram determinantes para o desempenho favorável deste setor durante o mês de julho.

Os demais setores varejistas também evoluíram positivamente em julho, apresentando taxas de crescimento de 0,4% (móveis, eletroeletrônicos e informática) a 1,3% (tecidos, vestuário, calçados e acessórios).

Na comparação anual, isto é, contra julho de 2009, o crescimento de 9,5% do movimento varejista foi puxado pelo segmento de material de construção (alta de 17,4%), seguido pelo ramo de móveis, eletroeletrônicos e informática (elevação de 13,0%) e pelo de veículos, motos e peças (avanço de 12,0%).

No período acumulado de janeiro a julho de 2010, a atividade do comércio registrou crescimento de 10,5%, liderada pelo segmento de veículos, motos e peças (17,6%), seguido de perto pelo de móveis, eletroeletrônicos e informática (17,2%). O setor de material de construção, com alta acumulada anual de 16,7%, também vem exibindo um excelente desempenho neste ano de 2010. Apenas o setor de combustíveis e lubrificantes ainda apresenta queda neste critério de comparação: -0,5% para o período acumulado de janeiro a junho de 2010 frente ao período equivalente de 2009.

METODOLOGIA
O Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio é construído, exclusivamente, pelo volume de consultas mensais realizadas por estabelecimentos comerciais à base de dados da Serasa Experian.  As consultas (nas formas de taxas de crescimentos) são tratadas estatisticamente pelo método das médias aparadas com corte de 20% nas extremidades superiores e inferiores. Com as taxas de crescimento tratadas e ponderadas pelo volume de consultas de cada empresa comercial é construída a série do indicador. A amostra é composta de cerca de 6.000 empresas comerciais e o indicador, com início em janeiro de 2000, é segmentado em seis ramos de atividade comercial.