Artigo: LAIVOS DE SOFRIMENTO

959
Crédito: RBS

Os {erros e/ou equívocos} de arbitragem, perpetrados pela confraria do apito brasileiro, nas temporadas de 2017/2018, tanto nos campeonatos regionais, como nas competições da CBF, entidade que ocupa percentual substancioso de árbitros e assistentes – (ao longo de 10 meses do ano – no Brasileirão e demais competições) – deveriam servir de embasamento para as federações de futebol e a própria CBF, viabilizarem uma requalificação ampla, total e irrestrita em todos os níveis da arbitragem brasileira.
Infelizmente, por comodismo, inapetência, por falta de uma visão globalizada da importância das tomadas de decisões do árbitro numa partida no século 21, ou até mesmo por interesse de que tudo continue como está, nada foi feito.
Estamos em 2019 – e com o início dos regionais, observamos a cada rodada, independente do campeonato, uma sequência de {erros e/ou equívocos} de apitos e bandeiras, como nunca se viu nos gramados do outrora melhor futebol do mundo.
Mais algumas semanas, e os regionais que tem exibido público de futebol suburbano, nas arquibancadas, terminam.
O “x” da questão é que um contingente expressivo dos homens de preto, que estão laborando nos campeonatos regionais, e vêm cometendo a escalada de {erros e/ou equívocos} na interpretação e aplicação das Regras de Futebol, compõe a Relação Nacional de Árbitros de Futebol da CBF – (RENAF).
É esse grupo de arbitragem acima mencionado, com raras exceções, que vai comandar dentro de poucos dias, os prélios da Copa do Brasil e do Campeonato Brasileiro das Séries A, B, C e D.

Diante do motivado, sem querer ser agourento, é de bom alvitre que atletas, cartolas, técnicos, clubes, imprensa, torcedores e assemelhados, preparem o intelecto, o espírito, a alma, o coração e tenham muita paciência, porque os indícios apontam para mais uma temporada de intenso sofrimento no que concerne à arbitragem.
ad argumentandum tantum – Enquanto os cartolas do futebol brasileiro discutem, pelo segundo ano consecutivo, quem vai bancar os custos econômicos do Árbitro Assistente de Vídeo – VAR – no Campeonato Brasileiro da CBF, a Federação Peruana de Futebol decidiu que, a partir de agosto deste ano o VAR será implementado no principal nacional daquela entidade.

Por Valdir de Córdova Bicudo / ex-árbitro de futebol profissional