Pois bem, nada será como antes. O encantamento começa a sumir. A aprovação do governo Jair Bolsonaro entre os agentes do mercado financeiro caiu entre abril e maio, segundo levantamento da XP Investimentos com 79 gestores de recursos, economistas e consultores, realizado entre os dias 22 e 24 deste mês. Enquanto o porcentual daqueles que consideram o governo bom ou ótimo caiu de 28% para 14% e a fatia dos que avaliam o governo como regular recuou de 48% para 43%, a avaliação negativa (ruim ou péssimo) subiu para 43%, de 24% na pesquisa anterior.

A expectativa em relação à administração também declinou. A soma de bom ou ótimo cedeu de 60% para 27% entre abril e maio. Ruim e péssimo aumentou de 13% para 23%, mas a avaliação regular subiu de 28% para 51%.

Por outro lado, a análise do mercado financeiro do Congresso melhorou em relação a abril. O porcentual de agentes que consideram como ótima ou boa a atuação do Congresso avançou de 15% para 32%. Já o grupo que avalia o Parlamento como ruim ou péssimo caiu de 40% para 25%.

Ainda há esperança

Em relação à aprovação da reforma da Previdência, a confiança continua elevada. Dos 79 agentes consultados, 80% afirmaram que acreditam que a proposta será aprovada em 2019, mesmo porcentual registrado desde a pesquisa de fevereiro. Da mesma forma, a expectativa mediana de economia com a reforma segue em R$ 700 bilhões em dez anos, uma desidratação de R$ 537 bilhões do projeto original.

Entre junho e julho

A maioria dos agentes acredita que a reforma será votada na comissão especial entre junho e julho (80%), enquanto 20% avaliam que deve ocorrer entre agosto e dezembro. A primeira votação na Câmara deve ficar para entre agosto e setembro para 85% dos entrevistados, enquanto 6% acreditam que deve acontecer antes do recesso e 9% no quarto trimestre. Já a aprovação final no Congresso acontecerá no quarto trimestre para 71% dos participantes, enquanto 19% veem a reforma sendo aprovada no terceiro trimestre e 10% em 2020 ou depois.

Impactos no mercado

Segundo o levantamento da XP, se uma reforma da Previdência com impacto de 50% da proposta inicial for aprovada, a bolsa pode subir 7% para 100 mil pontos e o câmbio teria 3% de apreciação, para R$ 3,90. Caso seja aprovada a proposta como enviada pelo governo, a bolsa poderia subir 28%, para 120 mil pontos, e o câmbio poderia apreciar 10%, para R$ 3,60. Por outro lado, sem a aprovação da reforma da Previdência, a bolsa cairia 20% para 75 mil pontos e o câmbio subiria 12%, para R$ 4,50.

Escola sem partido

A votação do polêmico projeto “escola sem partido” e a discussão sobre a data-base do reajuste salarial anual dos servidores públicos devem “esquentar” os debates na Assembleia Legislativa na última semana de maio. A proposta que pretende restringir discussões sobre política, gênero e sexualidade na rede de ensino estadual está programada para ser votada em plenário amanhã, depois de mais de dois anos tramitando. A APP-Sindicato – que classifica a iniciativa de “lei da mordaça” – promete mobilizar os professores para pressionar os deputados a rejeitá-la.

Fechando as portas

Depois de quase um ano e meio no azul, o comércio varejista voltou a mais fechar do que abrir lojas no primeiro trimestre. Entre janeiro e março, 39 pontos de venda lacraram as portas no País. O número é pequeno, mas emblemático, pois indica grande mudança de rota. E confirma o quadro de estagnação da economia, já apontado por outros indicadores.

Baque em 2019

No último trimestre de 2018, o saldo entre abertura e fechamento de lojas foi positivo em 4,8 mil unidades. O ano passado também tinha sido o primeiro ano positivo de inaugurações depois da recessão, com 11 mil pontos de venda abertos. O saldo de lojas de 2018 é pequeno comparado às 220 mil lojas que o varejo perdeu entre 2014 e 2017. Mas era importante porque sinalizava a recuperação do setor, agora ameaçada.Os dados de abertura de lojas fazem parte de estudo da Confederação Nacional do Comércio (CNC) feito com base nas informações prestadas por empresas formais e com vínculo empregatício, reunidas no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Grana no oeste

O Município de Cascavel será contemplado com quase R$ 7 milhões do governo do Estado. O volume faz parte do ‘pacote’ de recursos autorizados pelo governador Carlos Massa Ratinho Júnior durante a 4ª Assembleia Geral Ordinária deste ano da Amop. Anfitrião do encontro, ao lado do presidente da Associação dos Municípios do Oeste do Paraná e prefeito de Jesuítas, Junior Weiller, o prefeito Leonaldo Paranhos agradeceu os recursos em nome de todos os prefeitos da região, que assinaram os convênios para investimentos nos mais diferentes segmentos e enfatizou o prestígio e compromisso do governo com o Oeste do Paraná.

Quem ganha na crise

Dados sobre a renda dos brasileiros publicados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, revelam um dos efeitos mais perversos da recessão iniciada em 2014 e do ritmo bastante lento de recuperação econômica dos últimos anos.

Rendimento médio

Segundo esses dados, o rendimento médio dos brasileiros alcançou no ano passado o maior nível desde que a pesquisa começou a ser realizada pelo IBGE, tendo ficado em R$ 2.270 por mês, em média, no último trimestre de 2018. No entanto, esse aumento de renda foi puxado basicamente pelos ganhos das diferentes corporações de servidores do Executivo, do Legislativo e do Judiciário, que têm direito à estabilidade. Enquanto eles conseguiram bons aumentos salariais, os servidores da iniciativa privada, além de sofrer com os sucessivos cortes de vagas na economia formal, ficaram com o poder de compra praticamente estagnado.

Moro ainda briga

Senadores de vários partidos afirmaram ter votos suficientes para aprovar, nesta terça-feira (28), a manutenção do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) sob o controle do ministro da Justiça, Sergio Moro.  Caso isso seja confirmado, haverá um impasse com a Câmara, que sob a liderança do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do centrão, aprovou na semana passada a migração do órgão de fiscalização para o Ministério da Economia.

Reforma é obrigação

Entre as MPs que estão pautadas para irem ao plenário na Câmara está a 871, também conhecida como antifraude. O texto, de relatoria do deputado Paulo Eduardo Martins (PSC-PR), prevê, entre outros pontos, o fim do uso de declaração de sindicatos rurais para atestar tempo de trabalho. Há ainda um endurecimento nos critérios para recebimento do auxílio-reclusão, pago a familiares de trabalhadores que forem presos. Com as novas regras em prática, a estimativa é de uma economia de R$ 10 bilhões aos cofres públicos. “É fundamental acabar com as chances de fraudes e corrupção nos benefícios do INSS. A aprovação no plenário é fundamental para o país”, estima Paulo Eduardo Martins.

Visitas intimas

O ex-presidente Lula já não batalha tanto por um frigobar para sua sala-cela na superintendência da Polícia Federal em Curitiba: ele quer visitas íntimas de sua namorada, a socióloga Rosângela da Silva, com que pretende se casar quando “sair da prisão”. Seus advogados estão tentando, com muita discrição, que ele seja atendido – e está difícil. O romance ganhou destaque lá fora. O francês Libération publicou: “Lula, amoureux, veut se remarier s’il sort de prison”. Rosângela conheceu Lula há anos, quando ele visitou Itaipu, no primeiro mandato e Gleisi Hoffmann comandava o financeiro da hidrelétrica.

 

Sempre às quintas

Os encontros de Lula e Rosângela acontecem sempre às quintas-feiras, no cair da tarde e demoram perto de uma hora. Os filhos do ex-presidente não estão gostando muito do namoro. Lula delegou a ela a triagem de quem deve ou não visitá-lo, uma forma educada de só receber quem quer. Quando confessou ao ex-ministro Luis Carlos Bresser Pereira que estava namorando, era tudo calculado: queria fazer um carinho público em Rosangela. Agora, com o fim do escritório de Curitiba da Itaipu, ela e mais 150 servidores serão remanejados para Foz do Iguaçu, o que atrapalhará um pouco o romance.

 

Dinheirama

Dario Messer, o “doleiro dos doleiros” e seus familiares firmaram delações premiadas que somam quase R$ 400 milhões. Os acordos trazem informação sobre US$ 1,6 bilhão em movimentações que contaram com mais de 3 mil offshores em 52 países. Além de Dario, fecharam delações a mulher dele, três filhos e um genro.

 

Marco histórico

Nunca, na história da televisão, tanta gente parou em frente a um aparelho de TV, no mundo inteiro, no mesmo horário, para viver as emoções de Game of Thrones. Durou nove anos e oito temporadas. Quem quiser assistir tudo de uma vez só, terá de dedicar três dias inteiros e mais 72 horas de vídeo para assistir os 71 episódios.

 

Quem diria

Para quem gosta de números e mais ainda de números surpreendentes: no ano passado, tirando as receitas e despesas previdenciárias, o governo federal fez um superávit de R$ 75 bilhões, embora pouca gente acredite. Mas acrescente apenas o gasto do INSS e aparece um déficit de R$ 194,2 bilhões. As receitas para financiar o déficit são complicadas: aumentar impostos, tomar dinheiro emprestado (a dívida pública hoje se aproxima dos 80% do PIB) e pagar R$ 360 bilhões de juros por ano ou imprimir dinheiro e deixar rolar a inflação.

 

Degeneração

A degeneração do Rio continua aumentando: a Cobal de Humaitá, um dos mais movimentados hortifrutis da Zona Sul durante décadas tem apenas um terço de sua área ocupada (os comerciantes estão pedindo oxigênio à Prefeitura) e em Copacabana, o famoso Cassino Atlântico, que já foi sofisticado shopping com 70% do seu espaço dedicado a antiguidades e arte, está quase vazio. Contam-se nos dedos os estabelecimentos que permanecem abertos.

 

Tem história

Em junho, o desembargador Carlos Alberto Thompson Flores deixa a presidência do Tribunal Regional Federal da 4ª Região e assume lugar na 8ª. Turma, que julgará recurso de Lula no caso do sítio de Atibaia. Thompson Flores já deu sucessivas demonstrações de que acha que o lugar do ex-presidente é na cadeia e os advogados de Lula poderão pedir suspeição do desembargador. Há 12 anos, o mesmo Lula condecorou Thompson Flores com a Ordem do Mérito Militar, concedida pelo Exército. Agora, Bolsonaro lhe brindou com a Ordem do Mérito Naval, dada pela Marinha.

 

Almanaque

Narendra Modi, premier da Índia há décadas, deverá ser reeleito com uma margem de vitória histórica. Os números das eleições na Índia são surpreendentes: demoram 39 dias em mais de um milhão de seções eleitorais; participam 600 milhões de eleitores na maior democracia do mundo; custa US$ 8 bilhões, mais do que as eleições nos Estados Unidos (em 2016, custaram US$ 6,5 bilhões) e a apuração pode demorar até seis meses.

 

Inconstitucional

Nota técnica da Consultoria Legislativa do Senado garante que a modificação feita por Bolsonaro, na semana passada, no texto que flexibilizou o porte de armas, não tirou a inconstitucionalidade da medida anterior. Acham que com tudo contraria o Estatuto do Desarmamento – em vez de regulamentá-lo. No entendimento dos consultores, o ideal era mesmo o Congresso impedir de vez e totalmente o decreto de Bolsonaro.

 

Pré-falimentar

Dados do Ministério da Economia apontam uma projeção de déficit do FAT – Fundo de Amparo ao Trabalhador superior a R$ 60 bilhões nos próximos quatro anos. O Fundo necessitará no mesmo período de uma receita de R$ 339 bilhões, ou seja, cerca de R4 85 bilhões por ano para cobrir o rombo projetado. No ano passado, as entradas do FAT somaram R$ 64,4 bilhões para uma despesa de R$ 72,2 bilhões.

 

Chineses nos trilhos

A China Railway Guangzhou Group já avisou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, que está interessada em participar da privatização da Ferrogrão, obra de 993 km que conectará Mato Grosso (Sinop) ao Pará (Itaituba). O governo já sonha com a possibilidade de um consórcio entre o grupo e a conterrânea China Railway para a construção da ferrovia, obra estimada em quase US$ 3,5 bilhões.

 

Dedo

O Planalto identificou o dedo de Rodrigo Maia, presidente da Câmara, na ausência de diversos parlamentares nordestinos no café da manhã da semana passada com Jair Bolsonaro. A bancada de Pernambuco, por exemplo, faltou em peso. Os nordestinos não querem ouvir blá-blá-blá presidencial: querem ações e prestígio (o de Bolsonaro lá em cima é quase zero).

 

Otimista

O ministro Onyx Lorenzoni, da Casa Civil, que muitos congressistas gostariam de derrubá-lo do cargo, é mais otimista do que o ministro Paulo Guedes, da Economia: acha que a reforma da Previdência será votada em plenário antes do recesso. Aos mais chegados, porém, ironiza: “Votar é uma coisa, aprovar é outra”.

 

MP do Saneamento

Nada menos do que 24 milhões de moradias no Brasil não tem acesso a água e esgoto. Agora a MP do saneamento que poderia atrair investimentos de R$ 700 milhões até 2033 no país, perderá a validade se não for votada até dia 3 de junho, devido à falta de acordo entre governo, estados e Congresso. Sem a MP aprovada, à propósito, a venda da Sabesp, em São Paulo, vai por água abaixo.

 

Novo tratamento

Durante décadas em que tomavam hormônios, usavam roupas de mulheres, perucas (ou cabelos compridos) e muito make-up eram chamados, inclusive pela mídia, de “os travestis” com tratamento – mesmo respeitoso – no masculino. Nos últimos tempos, sem que eles se modificassem, o tratamento – e a mídia junto – resolveram tratar integrantes desse bloco como “as travestis”, no feminino.

 

Vai parar

O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, está pleiteando junto a Paulo Guedes, da Economia, a liberação emergencial de cerca de R$ 1,6 bilhão para honrar contratos já assumidos do Minha Casa, Minha Vida. Sem esse dinheiro, o programa vai parar. A verba extra de R$ 800 milhões anunciada há semanas (e ninguém ainda viu a cor do dinheiro) é suficiente apenas para cobrir custos até agosto. De janeiro a abril os atrasos nos repasses dos recursos do Minha Casa, Minha Vida já somam R$ 550 milhões.

 

Salário

O salário de Rosângela da Silva, a namorada de Lula, para atuar na área de “responsabilidade social” da Itaipu Binacional, é de 17.500,00. Na estatal, a média salarial é de R$ 8.779,68. Detalhe: ela foi nomeada em 1º de janeiro de 2005, em pleno feriado nacional.

 

Sem problemas

Depois do decreto de flexibilização de armas, que ainda precisa de aprovação do Congresso, o presidente Jair Bolsonaro diz que não vê problema de uma criança de 8 a 10 anos praticar tiro esportivo e acrescentou “sempre acompanhado de um responsável”. Para Bolsonaro é preciso ensinar as crianças que arma de fogo é um objeto perigoso.

 

No Nordeste

Desde que tomou posse, em 1º de janeiro deste ano, Jair Bolsonaro já fez várias viagens para o Exterior. Agora pela primeira vez, foi a região Nordeste do Brasil no. As primeiras cidades visitadas foram Recife e Petrolina, em Pernambuco. Outras cidades e estados deverão também ser agraciadas pela visita do Chefe do Estado. O Nordeste foi a única região que Bolsonaro não venceu.

 

Conselho

As coisas estão esquentando na Câmara: Rodrigo Maia, presidente da Casa, rompeu com o líder do governo Major Vitor Hugo, que agora é atacado pelo líder do DEM, Elmar Nascimento, que também atacou Joice Hasselmann, Onyx Lorenzoni e o PSL. Para consolo do Major, o deputado federal mais votado da história, Eduardo Bolsonaro, filho do presidente pediu para ele ficar tranquilo. “Nada como um dia após o outro. Se tem uma coisa que aprendi aqui é isso”.

 

Sem mudança

Rodrigo Maia, presidente da Câmara, queria obrigar deputados a trabalhar até às 14h, nas quintas-feiras, mas de olho no futuro voltou a liberar o ponto às 6h da manhã. Depois, ocorre uma debandada toda manhã de quinta, no aeroporto de Brasília (tem até engarrafamento de carros oficiais). Os que chegaram agora até pensavam em adotar o horário pretendido anteriormente por Maia. Não deu: a tentação de ganhar sem trabalhar foi maior.

 

Senha

O juiz Flávio Itabaiana de Oliveira Nicolau, que autorizou a quebra dos sigilos fiscal e bancário de Flávio Bolsonaro, tem fama de durão e até usa senha para avisar funcionários que é preciso chamar a polícia porque ordenará a prisão do réu. “Pode trazer um café bem quentinho” – e logo depois da frase, entram policiais e o réu sai de lá preso.

 

Tudo errado

Jair Bolsonaro revelou a ideia de criar uma taxa para permitir a atualização do valor dos imóveis na declaração do IR, sonhando em arrecadar mais de R$ 1 trilhão, mas nunca será realizada. O ministro Paulo Guedes, da Economia, não foi informado dessa proposta e ninguém sabe quem a levou a Bolsonaro diretamente. E ele, do seu lado, falou o que disse antes de consultar o seu Posto Ipiranga. Achou que havia descoberto a pólvora.

 

Vai para a gaveta

Esta semana, dia 28, o Conselho Nacional do Ministério Público estará reunido para analisar recurso do PSL contra José Eduardo Guessen, procurador-geral da Justiça do MP do Rio e o promotor Gláucio Cardoso. O partido pediu que eles fossem afastados das investigações, acusando-os de terem vazado informações sobre o caso Flávio-Queiróz à imprensa. A tendência do Conselho é engavetar o pedido.

 

Tragédia familiar

A família brasileira que foi encontrada morta em um hotel no Chile planejou por um ano a viagem para comemorar o aniversário de Karoliny que havia completado 15 anos poucos dias antes. Junto com a menina estavam a mãe Débora (40 anos), o pai Fabiano (41 anos), o irmão Felipe (13 anos), o tio Jonathas (30) e sua esposa Adriane (27). A viagem duraria até sábado, mas eles já tinha decido antecipar a volta ao saberem na noite de terça que a mãe de Débora e Jonathas havia morrido naquela tarde. O retorno estava marcado para quarta-feira a noite.

 

No último minuto

Na sexta-feira (24), de manhã o Instituto Brasil 200, movimento de empresários liderado por Flávio Rocha e com outros grandes empresários como João Appolinário, da Polishop e Luciano Hang, da Havan, decidiram apoiar o movimento pró-Bolsonaro.

 

Mudança

Em situação dramática e sem muitas esperanças de conseguir ajuda para sanar a dívida, Gustavo Canuto, ministro do Desenvolvimento Regional, estuda mudanças no programa Minha Casa, Minha Vida. A principal delas é que os beneficiários passariam a pagar um aluguel com valor simbólico e não mais obter o subsidio para compra dos imóveis. Segundo Canuto, a ideia surgiu para tentar diminuir a inadimplência e depois de notar que grande parte dos beneficiários vendiam os imóveis após a compra.

 

Frases

 “Eu já fiz o que tinha de ser feito. Ah, não aprovou a reforma, vou embora no dia seguinte. Se só eu quero a reforma vou embora para casa ou pego um avião e vou morar no exterior.”

Paulo Guedes