Apartamento de 34 m² é exemplo de funcionalidade

377

Qual o tamanho do seu sonho? 34 m² era a medida certa para o jovem morador deste apartamento. Com 28 anos, buscava no primeiro apartamento a independência para assistir suas séries preferidas, jogar videogame quando sobra um tempinho e ter um lar para voltar, quando aproveita o tempo livre para suas adoradas viagens.
Para traduzir os anseios do jovem e ajudar a tornar o desejo realidade, os arquitetos Renato Andrade e Erika Mello, do escritório Andrade & Mello Arquitetura, entraram em cena.
Por ser um apartamento pequeno, ele não acreditava que seria possível colocar todas as suas ideias na metragem disponível e por isso buscou os arquitetos para otimizar cada área ao máximo. “Nós fizemos o apartamento de uma amiga dele um ano antes e ele gostou das soluções que demos para a pouca metragem. Ele estava saindo da casa da família e buscava um espaço que o representasse e atendesse suas necessidades mínimas”, conta Renato.
Entre os desejos do jovem, a necessidade de ter um quarto separado dos demais cômodos era a número um. Por isso, setorizar o apartamento foi a primeira demanda do projeto. “Assim, optamos por alocar a área social (cozinha e sala) na varanda, e o espaço íntimo ficou mais reservado na área pré-definida pela construtora. Não usamos divisórias, os próprios móveis delimitam cada espaço, garantindo amplitude”, fala Erika.
Como mudança no layout do apartamento, a proposta dispensou paredes entre quarto, cozinha e varanda – esta ganhou fechamento de vidro para aumentar a área útil interna e teve o piso nivelado ao restante dos ambientes. Certos de que menos é mais, Renato e Erika lançaram mão apenas dos móveis necessários para atender o dia a dia do morador, investindo em um conceito mais minimalista, que traz a sensação de que o imóvel é maior. “Já que temos um espaço totalmente integrado, optamos por materiais mais urbanos, que imprimissem as características do morador – jovem e moderno, que gosta de coisas simples”, fala Renato.
Na área íntima, os arquitetos posicionaram uma cama de casal convencional e um armário para closet fechado, que abrigou também uma pequena área de serviço, com máquina de lavar, espaço para acomodar vassouras, tábua de passar, varal de piso e produtos de limpeza. Ao lado fica a geladeira, liberando maior área na varanda para a bancada da cozinha e o cooktop.

Ao lado do hall, fica o banheiro, que por não ter janela recebeu revestimento em todas as paredes para facilitar a limpeza e manutenção. “Trocamos os revestimentos, abrimos um nicho na parede do box para liberar mais espaço, substituímos a pia entregue pela construtora por uma bancada esculpida no mesmo porcelanato das paredes. Um móvel abaixo da pia e prateleiras suspensas na parede facilitam o acesso aos produtos do dia a dia. “O box articulado é uma excelente solução para espaços pequenos, pois, permite uma maior abertura”, conta Renato.

Na varanda, a vista privilegiada do 12º andar ficou convidativa para o espaço de receber. Já na área da cozinha coube os eletrodomésticos solicitados e armários para armazenagem. Entre a cozinha e a sala, como elemento divisor está a mesa (Mobly) de quatro lugares, espaçosa e confortável, que também serve como apoio para ampliar a área de trabalho da pia.
Na sala de estar, o sofá (Tok&Stok) com quatro módulos se junta às cadeiras da mesa permitindo que o morador acomode com conforto oito pessoas. “Para conseguir tantos lugares, parte do sofá avança para o quarto, mas sem inviabilizar a circulação, e assim ele pode receber sem que as pessoas precisem sentar na sua cama – que era o que mais o incomodava”, explica Renato. O móvel ao lado do sofá atende duas funções, esconde a condensadora do ar condicionado e serve como rack para o decodificador da TV, videogames e um minibar. A estante sobre o sofá armazena os livros e recordações das viagens.

Os arquitetos pensaram num projeto luminotécnico (Yamamura) que dispensasse o forro de gesso na área do quarto e aproveitando o forro da varanda. Um trilho em “L” com spots direcionáveis de lâmpadas dicróicas atende a área do closet e um pedaço da sala. Ao lado da cama há uma arandela para leitura. Na cozinha e sala a opção foi usar embutidos direcionáveis de lâmpadas PAR20. Sobre a bancada da cozinha, a fita de LED ajuda a iluminar a área de trabalho. Enquanto o sofá conta com uma arandela articulada e direcionável, que serve como abajur para as leituras. “Gostamos de trabalhar a iluminação de forma cênica, pensando sempre nas diversas formas que os espaços podem ser utilizados e assim o morador terá opções de luz para quando chega em casa”, finaliza Erika.