O crescimento de 5,4% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2007, divulgado hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é uma ótima notícia para o governo também no campo político.

O crescimento de 5,4% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2007, divulgado hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é uma ótima notícia para o governo também no campo político. "O bom resultado na economia continua sendo o motor de sustentação política do governo Lula", avalia o cientista político e pesquisador da Pontifícia Universidade Católica (PUC) e Fundação Getúlio Vargas (FGV) de São Paulo, Marco Antônio Carvalho Teixeira.
De acordo com o pesquisador, a economia é o fator que tem um dos maiores pesos nas pesquisas de popularidade de um governo. "É fato que a crise econômica enfraqueceu o segundo mandato de Fernando Henrique Cardoso e os governos de Fernando Collor de Mello e de José Sarney", disse. "No governo Lula, a despeito de todas as crises que essa administração e o partido do presidente, o PT, atravessam, a popularidade da gestão e também do presidente continuam em alta, porque a população colhe os frutos dos bons resultados econômicos."
Para Carvalho Teixeira, se a economia continuar registrando bons resultados, o capital político do governo Lula terá grande reflexo no processo eleitoral municipal deste ano. "E se os ventos continuarem favoráveis, a economia continuará influenciando a campanha presidencial." Mesmo nos momentos de maior adversidade, o bom quadro econômico do País tem dado sustentação política ao governo e ao presidente Lula.