Foto: AEN/PR

O agricultor Marcos José Czaja, do município da Lapa, na Região Metropolitana de Curitiba, já aplicou no solo cerca de 2 mil toneladas de lodo de esgoto recebidas Sanepar. Ele e o irmão usaram o produto em 52 hectares para o plantio da soja na safra 2019/2020. No ano passado, eles já haviam utilizado cerca de 1 mil toneladas em 30 hectares de milho.

“Além do custo zero do lodo, a resposta tem sido muito boa em produtividade”, afirma Marcos. Ele estima ganho de 15% de produtividade, tanto para o milho como para a soja. “No ano passado, quando tivemos estiagem muito forte, o milho aguentou porque o lodo deixa a planta mais forte”, explica.

Marcos é um dos agricultores beneficiados pelo Programa de Uso Agrícola do Lodo de Esgoto da Sanepar em todo o Estado. Em 2018, a companhia disponibilizou 21.687 toneladas do produto em 42 municípios do Estado, beneficiando 86 agricultores. O lodo foi aplicado em 1.989 hectares. Hoje, o lodo reciclado utilizado na agricultura representa 35% do total produzido nas estações de esgoto da Sanepar no Paraná.

No final de julho, mês em que se comemora o dia do agricultor, a Sanepar entregou o relatório anual de rastreabilidade do programa (vigência 2018) para o Instituto Agronômico do Paraná (IAP), órgão que emite as Autorizações Ambientais para uso agrícola do lodo de esgoto.

O engenheiro agrônomo da Sanepar em Curitiba, Rebert Skalisz, explica que os agricultores interessados em receber o lodo devem entrar em contato com a companhia e se cadastrar. Uma equipe técnica da Sanepar vai até a propriedade agrícola para fazer um levantamento da aptidão da área, conforme a Resolução da Secretaria Estadual de Meio Ambiente Sema 021/2009, que define critérios e procedimentos para uso do lodo.

A Sanepar faz também coleta de uma amostra do solo para análise e, a partir do resultado, fica definida a quantidade de lodo a ser aplicado. “Essas análises indicam o potencial agronômico do lodo que, por ser higienizado com cal virgem, atua como corretivo do solo, além de acrescentar matéria orgânica que fornece nutrientes, como nitrogênio, fósforo e enxofre”, explica.

O lodo pode ser utilizado em diversas culturas, como soja, milho, feijão, trigo, aveia (cobertura), café, laranja, amoreira (bicho-da-seda), cana-de-açúcar e culturas florestais como pinus, eucalipto e seringueira. O seu uso é proibido em hortaliças, pastagens, cultivo de raízes e tubérculos, como batata e mandioca, e quaisquer demais cultivos em que a parte comestível entre em contato com o solo.

Contatos para cadastramento de interessados:
e-mail: http://lodoagricola@sanepar.com.br

Região Metropolitana de Curitiba
Capital, Campos Gerais, Centro-Sul
(41) 3582-2356

Região Noroeste
Maringá, Paranavaí, Umuarama e Cianorte
(44) 3293-1223

Região Nordeste
Apucarana, Arapongas, Londrina, Cornélio Procópio e Santo Antônio da Platina
(43) 2102-3302

Região Sudoeste
Pato Branco, Francisco Beltrão, Foz do Iguaçu e Toledo
(45) 3220-1220