Accor inova com parcerias

804
Paulo Frias: programa de fidelidade vai além da hospedagem

Os hoteis da rede francesa Accor que operam em Curitiba – Adagio Curitiba, Ibis Curitiba Batel, Ibis Styles Curitiba Batel, Ibis Styles Curitiba Centro Cívico, Ibis Styles Curitiba Santa Felicidade, Mercure Curitiba Aeroporto, Mercure Curitiba Batel, Mercure Curitiba Golden, Mercure Curitiba Sete de Setembro e Novotel Curitiba Batel – participaram, na noite da quinta-feira 5, da ação conjunta de lançamento, na capital paranaense, do programa de lifestyle ALL (Accor Live Limitless) que soma uma série de benefícios aos clientes das marcas.

No evento, realizado no Mercure Sete de Setembro, o diretor de Operações da Accor para os hotéis midscale e econômicos, Paulo Frias, disse que “essas iniciativas ambiciosas foram projetadas para aumentar a visibilidade global do icônico portfólio, composto por 30 marcas de hoteis, assim como a incomparável coleção de bares, restaurantes e casas noturnas da rede”.

E destacou: “Além de reconhecer nossos membros mais fiéis, o novo programa ALL de fidelidade da Accor pretende ir além da hospedagem. Estamos apostando em valores agregados de acordo com nossa estratégia de hospitalidade aumentada”.

O programa da Accor é alicerçado em três grandes parcerias: uma associação com a AEG, principal empresa de esportes e entretenimento do mundo, irá proporcionar tíquetes e suítes privadas para os membros do programa de fidelidade na América Latina, Ásia e Europa. A parceria com a IMG, da área de eventos, permitirá aos clientes o acesso a Masterclasses, encontros de culinária e Taste Festivals em Londres, Paris, São Paulo, Hong Kong e Toronto. “Por fim – ressalta Frias – vale destacar o fato de a Accor ser o parceiro oficial do Paris Saint-Germain Football Club, clube com o crescimento mais rápido do mundo”.

Um hotel por dia

Rooftop do Novotel Leme, aberto no final de 2019, no Rio de Janeiro

Em 2019, em números globais, a Accor abriu um hotel por dia – excluindo aquisições – num total de 327 hotéis e 45.108 mil quartos. (Uma das novas unidades é o Ibis Styles Curitiba Aeroporto.) Hoje, a empresa possui cinco mil hotéis e 740 mil quartos, com crescimento orgânico de 5,1% comparado a 2018. Além disso, a empresa assinou outros 510 contratos de novos hotéis, num recorde inédito de um hotel assinado a cada 16 horas. Com isso, a Accor consolida para os próximos cinco anos mais 1.200 hotéis (208 mil quartos).

Os números foram apresentados por Patrick Mendes, CEO da Accor América do Sul, durante entrevista coletiva no Hotel Pullman Ibirapuera, em São Paulo, na quarta-feira 4. Na América do Sul – citou – “abrimos 26 hotéis na região (3.400 quartos), sendo 20 no Brasil (2.834 quartos), incluindo o primeiro Fairmont da América do Sul, em Copacabana, Rio de Janeiro; um na Argentina, um no Chile, um na Colômbia e dois no Peru (vide tabela abaixo).

Também foram assinados 18 novos projetos (2.684 quartos), sendo 16 deles no Brasil, um na Colômbia e um na Bolívia, país em que a Accor vai iniciar as operações em 2020 de três novos hotéis: ibis, Novotel e Swissôtel, todos em Santa Cruz de la Sierra. ”

Foi fundamental para os bons resultados do ano as conversões dos hotéis Atton e BHG em marcas Accor como Mercure, MGallery e Pullman, que permitiram à empresa adicionar mais de 18 hotéis reformados (quatro mil quartos) ao seu portfólio nos segmentos midscale, upscale e luxo.

Patrick Mendes anuncia 2020 como um marco para a Accor, onde lançamos nossa estratégia até 2023. Praticamente duplicaremos nossos números, saindo de 230 hotéis em 2015 e chegando a 460 abertos até 2021. Nossa meta é chegar a 500 hotéis em operação e 150 em pipeline em 2023. Em termos de aberturas previstas para 2020, temos 25 hotéis e outras 30 renovações, representando o Brasil 70% desse número e demais países 30%.

DZT, o porta-voz do turismo alemão

Cidades medievais, como Rothenburg ob der Tauber, e metrópoles estão na pauta de divulgação do DZT

Há 39 anos no Brasil como órgão de divulgação do turismo da Alemanha, o DZT (Deustche Zentrale fur Tourismus) ou, em português, Centro de Turismo Alemão, tem uma ambiciosa meta a ser cumprida nos próximos 10 anos: fazer com que, até 2030, o número de brasileiros em visita ao país de Gorthe chegue a 1,7 milhão ao ano.

Quinto destino europeu mais procurado por turistas do Brasil, a Alemanha registrou de janeiro a novembro de 2019, 731 mil pernoites de brasileiros, um aumento de 6,6% em relação ao mesmo período do ano anterior.

O DZT, que chegou ao Brasil em 1981, tinha sua representação agregada ao escritório da Lufthansa, companhia aérea alemã, mas, desde janeiro de 2000 está junto à Câmara Comércio e Indústria Brasil Alemanha (AHK). É uma das 31 representações alemãs em todo o mundo e a primeira na América Latina.

O Centro de Turismo alemão é dirigido há oito anos por Margaret Grantham. Dos executivos anteriores com os quais tive contato, cito Maria Valle Lopez e, anteriormente, Giovanni Lénard, este com mais proximidade. Lénard ficou longos anos à frente do DZT brasileiro, desenvolvendo a missão de promover o turismo, cultura, história e a gastronomia dos diversos destinos alemães.

Margareth Grantham destaca também o futebol e diz que prova disso é que as ações realizadas para promoção da Copa do Mundo na Alemanha, em 2006, contribuíram para o país ganhar ainda mais visibilidade por aqui. “De 2009 a 2015, tivemos um incremento de 139% de pernoites de brasileiros”.

O desafio para 2020, segundo Margareth, é mostrar que a Alemanha é ainda mais encantadora do que os rótulos dados ao país: “A Alemanha tem muito mais a oferecer. Hoje, inclusiva para pessoas com deficiência física ou dificuldade de locomoção, que também podem percorrer com a família os interiores do país que são cheios de experiências naturais e culturais fantásticas”.