Sofri um ataque daqueles. Apócrifo, sórdido, mentiroso, escrito com a tinta da covardia. Um texto enviado por WhatsApp circulou entre políticos, jornalistas e pessoas de meu relacionamento pessoal. A mensagem, que começa com erro gramatical no título, vem de gente medíocre.
Há investigação pesada para chegar à autoria. Alguns indícios foram levantados e apontam para hackers de meia confecção contratados para a ação. Tenho fundadas certezas de chegar ao crápula(s) que cometeu este crime. E seja quem for, tenha a força e o poder que tiver, terá punição, como manda a lei e a minha vontade de justiça. Agradeço a solidariedade que recebi.

Ratinho Jr e Miss Paraná
O governador Ratinho Jr desembarcou em Foz do Iguaçu, para cumprimentar as candidatas ao miss Paraná, concurso que está agitando o estado. Logo após o encontro com Ratinho Jr, as beldades seguiram para um city tour especial na charmosa Puerto Iguazú, no lado argentino das três fronteiras, incluindo Brasil e Paraguai. O Concurso será no domingo.

Privilégio
O ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot renovou seu passaporte diplomático quando já estava fora do cargo, que deixou em setembro de 2017, e apesar de aposentado será portador da regalia ao menos até 2023, quando se encerra sua validade. O procurador geral tem direito a passaporte diplomático, segundo dispõe o decreto 5978, de 2006. Mas ex-procurador ou procurador aposentado, não.

Fila separada
O portador de passaporte diplomático tem acesso a fila separada e tratamento menos rígido no acesso aos países que visita. Em alguns países, que exigem visto de entrada, essa providência se torna dispensável para portadores de passaporte diplomático. O Ministério das Relações Exteriores não explicou se e quando pretende recolher o passaporte diplomático do aposentado ex-PGR.

Canonização
O deputado federal e ex-ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP), fez questão de viajar para participar da cerimônia de canonização de Irmã Dulce que será realizada pelo Papa Francisco, no domingo (13), no Vaticano. O deputado se deslocou de avião comercial e pagou todos os custos da viagem do próprio bolso.

Haja emenda
Os deputados apresentaram 209 emendas à proposta de reforma tributária (PEC 45/19) que está sendo analisada em comissão especial. O conteúdo vai desde a criação de alíquotas diferenciadas do novo Imposto sobre Bens e Serviços (IBS) para setores como educação até a volta da CPMF como imposto único.

Substituir impostoa
Na atual proposta de reforma, o IBS deve substituir 5 impostos que são pagos pelos consumidores e, por isso, teria uma alíquota única e mais alta, com forte impacto no setor de serviços. A volta de um imposto sobre transações financeiras, como a CPMF, para substituir todo o sistema atual é defendida por alguns parlamentares como General Peternelli (PSL-SP). Ele prevê uma alíquota de 2,5% sobre débitos e créditos.

Renda e patrimônio
Os partidos de oposição procuraram apresentar emendas que oneram mais a renda e o patrimônio para que a tributação sobre consumo caia. Sugestão do deputado Enio Verri (PT-PR), por exemplo, estabelece a tributação de heranças a partir de R$ 15 milhões.

Outros temas
Também há emendas para alterar a tabela do Imposto de Renda, para tributar lucros e dividendos, para taxar veículos automotores aéreos e aquáticos, e para evitar que os gastos com saúde e educação fiquem abaixo dos pisos constitucionais. O deputado João Campos (Republicanos-GO) propôs emenda que mantém o ICMS estadual e o ISS municipal para evitar que os estados e municípios percam a sua capacidade de tributar. Pela proposta em discussão, esses impostos seriam substituídos pelo IBS, porém a arrecadação seria repartida.

Fim de incentivos
O fim dos incentivos fiscais atuais também é motivo de preocupação, e o deputado Marcelo Ramos (PL-AM) apresentou emenda que mantém os incentivos relacionados à Zona Franca de Manaus. Já o deputado Alexis Fonteyne (Novo-SP) quer aproveitar as mudanças para desonerar a folha de salários das empresas. As sugestões de mudanças no texto da reforma tributária serão analisadas pelo relator, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB).

Deltan dançou
Deltan Dallagnol será mesmo retirado do comando da Lava-Jato. O Conselho Nacional do Ministério Público topou fazer o serviço encomendado por uma ala de senadores e ministros do STF.
Pelo plano, deflagrado com a apresentação de representação pela senadora Kátia Abreu, Deltan será punido, mas não ficará na chuva. O procurador-geral da República Augusto Aras estuda convidá-lo a chefiar uma força-tarefa de combate ao narcotráfico — bem longe de Curitiba. A ideia inicial era tentar levar Deltan para Brasília, onde ele atuaria na própria PGR. Mas os defensores dessa saída foram logo convencidos pelos adversários de Deltan de que sua presença poderia causar problemas com o STF.

Joice no DEM
Interessada em disputar a eleição para a Prefeitura de São Paulo, em 2020, e com muitas resistências do PSL, a deputada Joice Hasselmann (SP), líder do governo Bolsonaro no Congresso, poderá deixar o partido para se filiar ao DEM. Joice já teve reuniões para tratar do assunto não apenas com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), mas com a cúpula da legenda. O martelo só não foi batido porque depende de uma estratégia casada com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

Trump apoia o Brasil
Depois de Mike Pompeo, agora é a vez de Donald Trump ir ao Twitter para manifestar seu apoio às pretensões do Brasil de entrar na OCDE. O presidente americano acaba de postar uma mensagem em sua conta na rede. Trump criticou a reportagem da Bloomberg que noticiava que os EUA haviam rejeitado o pedido do Brasil em relação à organização. “A declaração conjunta divulgada com o presidente Bolsonaro em março deixa absolutamente claro que eu apoio o Brasil no início do processo de adesão plena à OCDE. Os Estados Unidos defendem essa afirmação e defendem Jair Bolsonaro. Essa reportagem é ‘fake news’”, tuitou Trump.

Maior terminal
O Paraná passou a ter o maior terminal portuário em movimentação de contêineres do País. Nesta quinta-feira (10) o governador Carlos Massa Ratinho Junior inaugurou as obras de ampliação do Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP), que aumentarão o potencial de operação em 66%, passando das atuais 1,5 milhão TEUs/ano para 2,5 milhões. O investimento de R$ 550 milhões, feito pelo TCP, é o maior do Brasil no setor portuário dos últimos cinco anos e garante capacidade para atender a demanda de mercado brasileiro pelos próximos 30 anos. O contrato prevê outros R$ 548 milhões em melhorias até 2048.

A rasteira de Trump
Donald Trump deu uma tremenda rasteira no governo de Jair Bolsonaro nessa história da entrada do Brasil na Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). O caso deve implodir o discurso de Eduardo Bolsonaro no Senado, caso ainda tente tornar-se embaixador nos EUA. Como se sabe, a suposta relação de confiança e proximidade com Trump era o trunfo do 03 na campanha pela nomeação no Senado.

CCJ adia votação
A discussão das 32 emendas apresentadas ao projeto de lei complementar 9/2019, do Poder Executivo, que trata das licenças especiais concedidas aos servidores públicos estaduais na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), foi adiada para a próxima terça-feira (15). Isto porque o deputado Tadeu Veneri (PT) formulou pedido de vista, durante a reunião extraordinária realizada no início da tarde desta quarta-feira (09), ampliando o prazo para análise das emendas.
Abandonados
O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), por acordo, mapeou os imóveis da União do país. São 750 mil cadastrados. Deles, 51 mil são reservados para o uso do governo, outros 3,8 mil não tem efetiva utilização (e tem potencial de venda) e a maioria do restante exibe estado de abandono. Só seriam vendidos com reformas que o governo de Bolsonaro não fará.
Nova cota
O secretário de Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos de Foz do Iguaçu, Gilmar Piolla, disse nesta sexta-feira, 11, que a nova cota de compras terrestres de US$ 500 (R$ 2.050,00), anunciada pelo presidente Jair Bolsonaro, vai potencializar ainda mais o turismo de compras na fronteira trinacional. “Uma ótima notícia a decisão do presidente. Reivindicamos esse aumento desde 2014, quando fizemos um estudo pelo Codefoz e apresentamos à Receita Federal e ao Ministério da Fazenda. Agora, cinco anos depois, essa medida está sendo implantada”, disse Piolla.
Nobel da Paz
O primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, de 43 anos, venceu nesta sexta-feira (11) o prêmio Nobel da Paz em 2019. As informações são da Istoé. Segundo o comitê norueguês responsável pela honraria, Ahmed foi laureado por causa de “seus esforços para alcançar a paz e a cooperação internacional, principalmente em função de sua decisiva iniciativa para resolver o conflito de fronteira com a vizinha Eritreia”.
Etiópia
“O prêmio Nobel da Paz em 2019 pretende também reconhecer todas as partes interessadas que trabalham pela paz e pela reconciliação na Etiópia e nas regiões da África oriental e norte-oriental”, disse o comitê.
Palocci entrega Banco Safra
Joseph Safra e o banco Safra são citados 68 vezes por Antonio Palocci em depoimento devastador à Polícia Federal sobre suas relações com o ex-presidente Lula. O ex-ministro confessa haver recebido propina do Safra e conta que o banco subornava Lula. Palocci conta até que indicou Rossano Maranhão, ex-presidente do Banco do Brasil, para presidir o Safra, tornando as relações “mais fluidas”. Três dias depois de indagado, Safra informou pela assessoria que não se pronunciaria.
As acusações contra o banco Safra são tão graves que os meios jurídicos vivem a expectativa de uma fase da Lava Jato específica. O anexo 6 da delação, Palocci conta como a Aracruz Celulose, do grupo Safra, foi salva com R$2,4 bilhões liberados por ordem de Lula. Palocci revelou que Safra pagou os favores de Lula e Palocci com propina na forma de “doações” de R$2,5 milhões ao PT só em 2010.
Pelos favores recebidos, segundo Palocci, Safra deu R$10 milhões à campanha de Dilma, em 2014, e R$2 milhões à de Haddad, em 2012.
Nova dose
Revistas e editoriais de jornais especializadas em automóveis agora estão criticando o chinês Tiggo5, da Caoa Chery, o primeiro produzido no Brasil na fábrica de Anápolis. A ideia é que ele substitua no mercado o Tucson da sul-coreana Hyundai.

Pelado elegante
O ator Theodoro Cochrane, filho de Marília Gabriela, está brindando seus admiradores com uma foto feita no litoral de São Paulo, onde aparece “pelado, mas sempre elegante e distante pois não sou vulgar”. Depois que Reynaldo Gianecchini, que foi casado com sua mãe, assumiu já ter tido “romance com homens”, Theodoro garante que não teve nada com ele.

Sem benefício
Na ditadura militar, mais de três mil cabos da Aeronáutica foram afastados das Forças Armadas e posteriormente, se tornaram anistiados políticos. Agora, a Advocacia-Geral da União deve apoiar posição do Planalto do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos que, de acordo com a Comissão de Anistia, estão decidindo pelo cancelamento do benefício dos ex-integrantes da FAB. Eles teriam sido afastados por excesso de contingente, nada a ver com perseguição política.

Funcionalismo caro
Novos relatórios “Gestão de Pessoas e Folha de Pagamento”, do Banco Mundial, mostra que o gasto do setor público brasileiros com folha de pagamento é alto para os padrões internacionais e isso deve ao alto valor da remuneração e não ao número de funcionários. Em 2017, foram gastos R$ 725 bilhões com 11,5 milhões de servidores ativos (mais de 20 vezes o gasto atual com a Bolsa Família). Até 2022, segundo projeções do Banco Mundial, 26% desses servidores estarão aposentados.

Queda
Analistas políticos acreditam que qualquer que seja o capítulo final do imbróglio Bolsonaro-PSL a imagem do Chefe do Governo será afetada. Muitos apostam ainda, que isso resultará numa nova queda de aprovação nas próximas avaliações.

Força total
O ex-PSL e atual tucano, o deputado federal Alexandre Frota, está com armamento total apontado para o presidente Bolsonaro. Nem os mais negativistas acreditavam que Frota se tornaria um rival tão feroz. Agora, Frota lança uma campanha em seu Twitter na tentativa de derrubar Bolsonaro. A campanha pede “Estou aberto a ideia e a disposição para começarmos a elaboração e criação para retirada de Bolsonaro, ok. Aceito ideias, propostas, debates e reuniões para iniciarmos essa força tarefa #vamosconsertaroerro”.

Fazendo caixa
O empresário Michael Klein está vendendo um portifólio de galpões avaliado em R$ 2 bilhões. As áreas somam quase um milhão de metros quadrados e entre os interessados formam Blackstone/BlueMacaw, Brookfield, Credit Suisse, Kinea, Hemisfério Sul Investimentos e outros. Cerca de 90% do portifólio está estabilizado, ou seja, tem contratos de alugue com a Via Varejo (Casas Bahia, Ponto Frio, Extra e móveis Bartira). No ano passado, para fazer liquidez, ele vendeu lojas comerciais no valor de R$ 550 milhões.

Plano abordado
As delações de Antônio Palocci acusando André Esteves de ter recebido informações privilegiadas, mudou os planos do banqueiro. Ele havia retornado sem muito alarde em 2018 à posição de sênior partner do BTG, tornou-se comprador compulsivo de ações do próprio banco e o próximo passo seria voltar ao posto de presidente da instituição. A deduração de Palocci abortou o plano.

Spoiler
Na novela A dona do pedaço, Josiane (Agatha Moreira) vai virar feirante. Trabalhará numa barraca de peixes e quem arrumou o emprego para ela foi Carmelinda (Elisangela). E também lá acabará brigando com o patrão. À propósito: no final, Marlene (Sueli Franco) é que acabará com Antero (Ary Fontoura), que recuperará a memória – e de romance que tinha com ela.

Rápido
O ex-PGR Rodrigo Janot, que conseguiu vender mais exemplares de seu livro Nada menos que tudo na noite de autógrafos em Brasília do que em São Paulo, acaba de pedir licença de advocacia na OAB. Ou seja: não quer ser vítima de processos da própria classe onde muitos querem até que sua carteira da OAB seja cancelada.

Melhor não
Bolsonaro até cogitou viajar ao Vaticano para a cerimônia de canonização da Irmã Dulce, no próximo dia 13. Olavo de Carvalho, contudo, entrou em campo e alertou para a realização simultânea do Sínodo da Amazônia e risco de protestos contra Bolsonaro. E a viagem também poderia ser interpretada como um gesto de aproximação da Igreja Católica, que anda numa fase mais à esquerda. Melhor ficar com os evangélicos, sempre à direita.

Preparando
O secretário da Fazenda de São Paulo e ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles anda colhendo colaboração de muitas figuras de área diversas pensando em elaborar um programa econômico amplo, geral e irrestrito. Ele não deverá ser candidato pelo MDB à prefeitura de São Paulo e continuará ao de João Doria. Esse programa poderia ser a base da campanha do tucano ao Planalto em 2022 na área econômica. Se Doria leva, Meirelles assume o Ministério da Economia.

Ironia
O cantor Chico Buarque ficou indiferente à fala do presidente Bolsonaro, que afirmou “ter até 31 de dezembro para assinar o diploma do Prêmio Camões de Literatura”, concedido a ele. E ironizou: “A não assinatura do Bolsonaro no diploma é para mim um segundo Prêmio Camões. Aliás, que tipo de livro Bolsonaro lê? Cartas para a redação”.

Dica
Ainda sobre o episódio da saída ou não de Jair Bolsonaro, o também ex-PSL e ex-Secretário-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, que é outro recém-inimigo do Chefe do Governo, dá dicas para onde o Capitão deveria ir: “O Jair tem que criar um partido só com os filhos. Só vai dar certo num novo partido, se for só ele e os filhos. O presidente não respeita ninguém, faz questão de desprezar deputados que se empenharam para ajudar a elegê-lo em várias regiões, como no Nordeste”.

Colocando fogo
Ainda Bebianno: ele garante que Luciano Bivar e o Bolsonaro tinha um acordo dentro do partido: “para que o presidente ficasse com Fundação e o PSL Mulher, que dão juntos uns 25% do Fundo Partidário”. E completa: “Esse dinheiro seria administrado pelo Jair. O resto pelo partido. Mas bastou ser eleito para o acordo ser desfeito. O Eduardo quis tomar à força o diretório do PSL em São Paulo e ignorar a existência do Bivar, que é o dono do partido. A família Bolsonaro se preocupa exclusivamente com a família Bolsonaro. Não com o Brasil.”

Novo livro
A ex-primeira-dama norte-americana Michelle Obama lançará seu segundo livro. A obra reunirá 150 frases e textos inspiradores em vários temas que busca provocar reflexões sobre o autoconhecimento. O novo livro chegará às livrarias de todo mundo no dia 19 de novembro. Seu primeiro livro foi editado em 30 idiomas e o segundo promete número ainda maior de traduções.
Tranquilo
Luciano Bivar, presidente do PSL, está mais do que tranquilo em relação às investidas de Bolsonaro, especialmente porque, de acordo com a legislação eleitoral, se o presidente sai e leva parlamentares (é difícil por normas baixadas pelo TSE), o partido manteria toda sua verba de Fundo Partidário e do Fundo Eleitoral (para quatro anos, são projetados R$ 737 milhões). Os deputados que abandonariam o partido não levariam recursos para nova legenda. O Fundo Partidário seria rateado pela proporção de votos obtidos na Câmara.

Outro também
Ainda diante da hipótese de Bolsonaro abandonar o PSL e levar alguns deputados com ele para uma nova legenda (supostamente chamada Conservadores): também o Fundo Eleitoral permanece com a sigla comandada por Luciano Bivar. Segue critério do Fundo Partidário, de acordo com número de deputados e senadores eleitos por cada legenda. Eventuais mudanças no tamanho das bancadas do PSL na Câmara e no Senado não modificam o volume da verba que cabe ao partido. E nada disso, Bolsonaro ou seus filhos podem mudar.

De volta
Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), depois de licença pedida para permanecer com seu pai operado de uma hérnia, já está de volta à sua cadeira de vereador na Câmara Municipal do Rio. Ele não pretende disputar sua reeleição no ano que vem: quer se dedicar à candidatura de sua mãe Rogéria, ex-mulher do Chefe do Governo. Usará a mesma estrutura de redes utilizada na campanha presidencial. Depois, Carlucho quer permanecer em Brasília.
Âncora gay
Matheus Ribeiro, âncora do Jornal Anhanguera, da TV Anhanguera, de Goiás, será o primeiro apresentador gay do Jornal Nacional, que está festejando 50 anos e convidando âncora de filiadas à Rede Globo para ocuparem, por uma noite, a cadeira do noticioso. Ele está radiante nas redes sociais e aproveitando a ocasião para apresentar seu noivo, um militar chamado Yuri Piazzarollo.

Frases