Acautelai-vos. O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou ontem, que a projeção de crescimento “já caiu para 1,5%” e que, com isso, “começam os planejamentos de contingenciamentos”. A projeção oficial do governo para o PIB ainda é de 2,2%, mas o Estadão/Broadcast mostrou na semana passada que o governo já trabalhava com um número menor, entre 1,5% e 2%, em linha com as projeções de mercado.

Em audiência na Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso nesta tarde, Guedes disse que sempre olhou as estimativas de crescimento em torno de 2% “com ceticismo”. “Havia expectativa de que reformas tivessem rapidez e antecipavam forte recuperação econômica”, justificou. “Brasil está prisioneiro da armadilha de baixo crescimento, não é de hoje. Nunca achei que a coisa seria fácil.”

O ministro reforçou que a estimativa de crescimento das receitas é afetada pelo crescimento da economia e exemplificou que, se o Brasil crescer 1%, a receita vai crescer um pouco mais. Guedes repetiu que a reforma da Previdência é necessária para reverter o cenário de agravamento fiscal e o endividamento. “Nossa ideia é interromper bola de neve do endividamento ano que vem. A economia pode se recuperar com certa rapidez se fizer reformas encomendadas”, afirmou.

Temer e Lima soltos

Por 4 a 0, a Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) mandou nesta terça-feira (14) soltar o ex-presidente Michel Temer (MDB) e o coronel João Baptista Lima Filho, amigo do ex-presidente. Ambos foram presos no âmbito da Operação Descontaminação, desdobramento da Lava Jato que atribui ao ex-presidente o papel de líder de organização criminosa que teria desviado, em 30 anos de atuação, pelo menos R$ 1,8 bilhão.

Fatos antigos

Prevaleceu na sessão o entendimento de que os fatos apurados na investigação são “razoavelmente antigos”, relacionados à época em que Temer ocupava a vice-presidência da República, e que os crimes não teriam sido cometidos com violência, o que justifica a substituição da prisão por medidas cautelares. Temer e o coronel Lima estão proibidos de manter contato com outros investigados, de mudar de endereço ou ausentar-se do País – também terão os bens bloqueados e serão obrigados a entregar o passaporte. O ex-presidente ainda não poderá ocupar cargo de direção partidária.

Fanini quer perdão

Maurício Fanini, ex-diretor da Secretaria de Educação que fez as delações premiadas que renderam a ampla investigação da Operação Quadro Negro, sobre o desvio de verbas destinadas à construção de escolas, está preso desde setembro de 2017. Fanini fez 62 depoimentos. Agora ele quer a liberdade como prêmio pelas delações que renderam três mandados de prisão preventiva, um mandado de prisão temporária e sete mandados de busca e apreensão; três ações penais; dez pessoas físicas denunciadas com base na sua delação, entre elas o ex-governador Beto Richa e outros personagens da política paranaense.

Entregou todos

Em sua delação, Fanini revelou com riqueza de detalhes como funcionava o desvio do dinheiro público e sua transformação em propinas pagas para políticos no Paraná, nem por isso mereceu perdão judicial, que volta a pedir nas alegações finais da defesa perante a 9.ª Vara Criminal de Curitiba. Ao final da petição, os advogados requerem ao juiz da 9.ª Vara Criminal, Fernando Bardelli Fischer, a concessão do perdão judicial ao acusado colaborador; a fixação da multa prevista no art. 58 do CP em seu mínimo legal; ou a aplicação integral dos termos do acordo de colaboração premiada no que tange as penas que devem ser impostas ao peticionário.

Fim da aposentadoria

O presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB), confirmou que a Emenda Constitucional que extingue a aposentadoria dos ex-governadores será votada hoje. “A comissão especial da Assembleia aprovou o relatório que está pautada para esta quarta-feira e será o primeiro item da pauta. Quero zerar este assunto com a maior brevidade possível”, disse Traiano.

Sem problemas

Segundo o deputado, a instalação do governo em Maringá, evento previsto para as 18 horas de hoje, não deve atrapalhar a votação da matéria. “Compromisso de deputado é estar na sessão plenária. A instalação do governo em Maringá será amanhã, mas ele fica lá até sábado, não vejo razão para adiar a votação por esse motivo. Eu já havia avisado que, tão logo a comissão aprovasse seu parecer pautaria essa matéria”.

Sanepar suspensa

A Sanepar informou a suspensão do reajuste de 12,13% na conta de água e esgoto, após uma medida cautelar do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR). Conforme o documento da Sanepar, a medida cautelar foi concedida após uma Comunicação de Irregularidade feita pela Segunda Inspetoria de Controle Externo (2ª ICE) do TCE-PR no dia 6 de maio. No relatório, a 2ª ICE afirmou que o reajuste é uma “aberração travestida de uma teia de números, que visam distribuir lucros aos acionistas”.

Olha a milícia

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) saiu às ruas, ontem, para deflagrar a Operação “Lei e Ordem”, para cumprir 14 mandados judiciais, sendo quatro de prisão temporária, contra quatro policiais militares suspeitos de envolvimento no homicídio de Reginaldo Bergamaski, ocorrido em março deste ano. Os mandados judiciais foram expedidos pela 2ª Vara Privativa do Tribunal do Júri de Curitiba.

Pela família

O deputado federal Ricardo Barros (PP) participou nesta segunda-feira (13) da abertura da cúpula Mundial da Organização Mundial da Família (OMF) em Lisboa. O evento reúne representantes dos cinco continentes para debater ações que garantam o desenvolvimento sustentável das famílias e erradiquem a pobreza, seguindo a Agenda 2020, proposta pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Hudson honorário

Os vereadores de Ponta Grossa aprovaram ontem por unanimidade projeto de lei de autoria do vereador Mingo Menezes (DEM) que concede título de cidadão honorário de Ponta Grossa ao secretário de Estado de Comunicação Social e Cultura, Hudson Roberto José. O parlamentar acredita que a nomeação de Hudson José no secretariado do governo Carlos Massa Ratinho Júnior (PSD) enaltece a cidade e a Universidade.

Segredo das loterias

A pergunta não quer calar, e ficará sem resposta: quem afinal ganhou a mega-sena de R$289 milhões no fim de semana? Ninguém sabe, ninguém viu, exceto burocratas da área de loterias da Caixa. Somente em 2019, os brasileiros confiaram à Caixa quase R$3 bilhões (exatos R$2.851.256.908,50) com sua “fezinha” nas loterias, e são submetidos à mais grotesca falta de transparência de loterias em todo o mundo.

Cláusula pétrea

Fazer segredo do ganhador de loteria virou uma espécie de cláusula pétrea na Caixa, que sempre reage a projetos que acabam o sigilo. O lobby da Caixa sempre sufoca quaisquer iniciativas no Congresso para acabar o sigilo em torno dos vencedores de loterias. O falecido senador Gerson Camata contou certa vez à rádio BandNews que foi até ameaçado de morte ao propor o fim do sigilo nas loterias. Os escândalos são frequentes e várias operações foram deflagradas envolvendo loterias. Mas ninguém mexe no sigilo dos ganhadores.

Manobra tenta sabotar

Distribuidoras acumularam tanto dinheiro e poder, nos governos Dilma e Temer, que agem como governantes. Atravessadoras no comércio de combustíveis, essas empresas estão inconformadas com a defesa que o presidente Jair Bolsonaro fez da venda direta de etanol aos postos. Ele estima que isso reduzirá o preço final para o consumidor em 20 centavos o litro. As distribuidoras fazem lobby para aumentar impostos, na tentativa de neutralizar os benefícios da venda direta ao cidadão.

Palavrão como resposta

Foi pior: quando soube da manobra, Bolsonaro virou furioso. “Dá até vontade de dizer palavrão”, disse ele à Rádio Bandeirantes, domingo. Bolsonaro não vê sentido no papel da distribuidora/atravessadora no mercado de combustíveis, contribuindo apenas para aumentar preços.

Não produzem e lucram

Distribuidoras nada produzem, nem agregam valor, e ainda têm de 16% a 20% de “lucro” sobre o preço final de cada litro, mais impostos. Jair Bolsonaro disse à Rádio Bandeirantes que “a primeira vaga que tiver lá [no STF] estará à disposição” do ministro Sérgio Moro. Ele não fez um contrato, apenas sinalizou sua intenção. Aliás, excelente.

O cineasta flex

A patrulha petista fez o diretor José Padilha amarelar de novo. Com “Tropa de Elite 2”, pediu desculpas pelo primeiro, brilhante. Na segunda temporada de “O Mecanismo”, no Netflix, chega a ser constrangedora a sua tentativa de reescrever a ótima primeira temporada. Que vergonha.

Preconceito em Cuba

O PT não se pronunciou sobre a interferência da polícia de Cuba numa manifestação a favor dos direitos LGBT, em Havana. Os manifestantes não conseguiram andar nem 400m antes de serem dispersados.

É um artista

O ativista Jean Wilis não se pronunciou, nem o seu Psol, sobre a repressão da ditadura cubana à marcha LGBT de sábado (11). Willis prefere Nova York ou países da Europa, onde ele pode apontar, sem medo de repressão, as contradições do capitalismo selvagem.

Mais investimentos

A ministra Tereza Cristina (Agricultura) participou de encontro com 40 investidores chineses interessados em aumentar investimentos no Brasil nas áreas de sementes, suinocultura, infraestrutura e ferrovias.

Nem família escapa

Com pai e mãe entre as 30 mil vítimas da Braskem, em Maceió, o secretário de Desenvolvimento do governo estadual, Rafael Brito, acha que fechar a empresa “não resolve”. Laudo técnico culpa a jazida irresponsável de sal-gema sobre uma falha geológica desestabilizada.

Despachos como testemunha

O apadrinhado do ex-governador Rogério Rosso, o ex-secretário de Justiça Arthur Bernardes garante que comparece ao trabalho na Câmara Legislativa, como atestam, segundo ele, despachos diários em processos na área de Orçamento, Finanças e Controle do órgão.

Mulheres na reforma

Entre as 77 mulheres deputadas federais, 22 são a favor da reforma da Previdência, segundo o “placar da Previdência” do jornal Estadão. São 19 deputadas contra a reforma; 17 delas são do PT, PSol ou PCdoB.

Novos rótulos

Em apenas dois dias, Olavo de Carvalho, que continua enfrentando problemas de impostos e contas médicas nos Estados Unidos, resolveu brindar duas conhecidas figuras com novos rótulos, se é que se pode dizer assim, a partir de seus próprios sobrenomes. Agora diz que o deputado Alexandre Frota “era um ator pornô e hoje é só pornô” e o batiza como “Alexandre Fruta”. Já Lobão, que era seu admirador e até batalhava nas redes sociais pedindo dinheiro para o ex-astrólogo, é seu novo inimigo e por isso, ganhou o invólucro de “Lobostão”.

Caçando votos

Os procuradores mais próximos de Raquel Dodge não têm dúvidas: ela está em campanha pela sua recondução à PRG. Nas últimas semanas, não parou em seu gabinete: foi a eventos do Ministério Público, faltou duas vezes às sessões no Supremo e uma delas para comparecer à posse da nova diretoria do Conselho Nacional dos Procuradores Gerais em Campo Grande (MS). Ou seja: percorrer o Colégio Eleitoral do qual desdenhou. Raquel votou contra a formação da lista tríplice da Associação Nacional dos Procuradores da República.

Aviso

Uma espécie de aviso vai se multiplicando nas redes sociais com direito a suspeita de fake news. Diz: “A filha de Mariele vai ganhar pensão até seus 21 anos. E o filho do motorista? Não! A Santa Mariele não assinou a carteira dele”.

 

Apelido

O novo apelido da deputada federal Joice Hasselmann (PSl-SP) é “Miss Piggy”. Quem batizou foi o humorista José Simão, o mesmo que criou “Picolé de chuchu” para Geraldo Alckmin.

 

Moro no Supremo

A falação de Jair Bolsonaro envolvendo o nome do ministro Sérgio Moro, que vem enfrentando problemas e derrotas no governo, reforçando que ele será o próximo ministro do Supremo (apenas em novembro do ano que vem quando Celso Mello vai se aposentar) é apenas uma tática para desestimular a suposta ideia do ex-juiz de cair fora. Aguentar 19 meses da atrapalhadas do governo até que pode valer a pena para ganhar uma cadeira no STF. Afinal, ele abriu mão de 22 anos de magistratura.

 

Mais nomeações

Além de Moro, Jair Bolsonaro poderá fazer outras oito nomeações em tribunais superiores. Haverá ainda duas vagas no Superior Tribunal de Justiça (STJ), duas no Superior Tribunal do Trabalho (TST) e quatro no Superior Tribunal Militar (STM). Todos os nomes precisam ser aprovados pelo Senado.

 

Delírio

A última de Damares Alves, ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos: agora, ela diz que a personagem Elsa do filme Frozen, da Disney, termina sozinha no castelo de gelo porque é lésbica. E vai além, garantindo que será ela que vai acordar a Bela Adormecida. “Será um beijo gay”.

 

Afastado

O colunista Bruno Astuto foi demitido pela Rede Globo e não faz mais aparições no programa de Ana Maria Braga. A emissora diz que foi por causa de um “conflito ético”. Astuto é o novo diretor de marketing e comunicação da JHSF. Cuida da Fazenda Boa Vista (empacada), Shopping Cidade Jardim, Catarina Outlet e Jardins Shops (em construção). E representa algumas marcas no Brasil: Balmain e Pucci,  entre elas.

 

Editado

A participação de Bolsonaro no programa de Silvio Santos, que foi gravada, teve de ser editada com cuidados especiais em vários trechos, especialmente os que envolviam a reforma da Previdência. Bolsonaro não domina o assunto e cometeu alguns tropeções. O Chefe do Governo também foi ao programa de Luciana Gimenez e de Milton Neves. O próximo deverá ser o programa de Ratinho. Ana Maria Braga queria convidá-lo para um café da manhã e a direção vetou.

 

Bipolaridade

O distúrbio que supostamente domina Carlos Bolsonaro, um dos filhos do presidente, seria o de bipolaridade que, de certa forma, até justifica muitos de seus atos no Twitter. O assunto domina as redes sociais com depoimentos de médicos, terapeutas e outros. O próprio Carlos acompanha essa movimentação, mas, até agora, não postou nada – e menos ainda seu pai.

 

Chega e some

A Câmara dos Deputados já aprovou a transferência de Junta Comercial de Brasília que, para o governo local vai gerar uma receita extra de cerca de R$ 1,5 milhão por mês para o Distrito Federal. Só que boa parte desse dinheiro vai virar fumaça: mais de 60% será sugada com a abertura de novas vagas para o funcionalismo. Na Câmara Distrital, já há um projeto de lei que prevê a criação de 94 cargos para a Junta Comercial.

 

Sem marcha

O governo de Cuba acaba de cancelar a marcha LGBT em Havana, programada para as próximas semanas. Alegou que a suspensão corre por decisão “do Partido, do Estado e da Revolução”. Nos últimos tempos, Cuba já vem permitindo maior liberdade para integrantes das hostes do arco-íris, mas agora resolveu frear algumas áreas. Entre elas, manifestações públicas. É um passo para trás, segundo entidades do bloco colorido lá.

 

Empurrando

O programa “Aqui na Band”, que mostrará uma nova Silvia Poppovic no ar (com menos dezenas de quilos), vem tendo sua estreia empurrada. Era para ter sido ontem e agora poderá ser nos dias 20 ou 27.

 

200 degraus

O Rio de Janeiro continua lindo: agora, as escadas rolantes e os elevadores que levam as pessoas para o alto do Corcovado aos pés do Cristo Redentor, estão paradas desde as últimas chuvas que desabaram sobre a cidade do Rio. Não há previsão de quando o serviço de manutenção colocará tudo para funcionar (a empresa contratada está com seus pagamentos atrasados). E subir pelas escadas não é tarefa para qualquer um: têm 200 degraus.

 

Balanço

Na trágica morte (por engano) de Evaldo Rosa, que estava com a família em seu carro, no Rio e foi confundido, não foram gastas apenas 80 balas pelos militares do Exército. Um balanço feito posteriormente junto aos 10 responsáveis pelos tiros revelou que nada menos do que 257 disparos foram dados naquela operação.

 

Autonomia

Onyx Lorenzoni, ministro da Casa Civil, que tornar o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) em uma agência nacional de inteligência financeira – a Anif, que tem como intenção dar autonomia ao órgão. As funções seguiriam as mesmas atribuídas às agências internacionais de inteligência financeira. “Defendo isso desde 2006, para permitir que se faça, preventivamente, o cruzamento de dados”.

 

Mais um

Eduardo Bolsonaro, agora presidente do PSL em São Paulo, tem revelado aos mais chegados que José Luis Datena, do programa policial Brasil Urgente, que ele deverá se filiar à sigla do Chefe do Governo (já deixou o DEM), para disputar a prefeitura de São Paulo, no ano que vem. Se não der certo, Eduardo quer fazer o apresentador Danilo Gentili se filiar ao PSL e igualmente sair para esse voo político-eleitoral.

 

Novo Voo

O governador de São Paulo, João Doria e o secretário de Cultura, Sérgio Sá Leitão, querem modificar totalmente a TV Cultua e transformá-la numa Netflix. Teriam de ser mudado os estatutos vigentes da emissora, contratar profissionais competentes (lá, tem mais de mil funcionários num supercabide) e conseguir patrocinadores-investidores.

 

Movimento

Há um movimento entre os militares integrantes do governo de Jair Bolsonaro: a ideia é todos pedirem demissão de seus cargos no mesmo dia, por não concordarem com as ações do presidente. A retirada de todos juntos significaria um mega-desgaste na administração do mito e contratar substitutos da ordem de Damares Alves ou Ernesto Araújo no governo seria uma catástrofe.

 

Nova cena

A presença de famosos em inaugurações, lançamentos ou estreias virou coisa do passado. Eles sempre queriam cachês astronômicos e não ajudavam a vender anda. Os organizadores dos eventos acham que essas figuras não estão fazendo falta alguma.

 

He-man

Quem não lembra do herói He-Man famoso desenho animado que fez sucesso nos anos 80 e 90. Agora ele irá virar filme e o ator escolhido para interpretá-lo é Noah Centineo, que fez sucesso no filme Para todos os garotos que já amei. Existem também grande expectativa de que a heroína She-ra também vire filme e nomes para interpretar a heroína já começam a circular, entre eles, o de Emilia Clarke, Dakota Fanning, Emma Stone, Shailene Woodley, Cara Delevingne e até Jennifer Aniston.

 

Com Olavo

O deputado federal Marco Feliciano (Pode-SP) usou seu Twitter para pedir que a bancada evangélica fique do lado de Olavo de Carvalho “Ala militar do Planalto está fechada contra a mudança da embaixada para Jerusalém! Qual deputado evangélico apóia isso? Olavo é a favor da mudança da embaixada para Jerusalém. Qual deputado evangélico é contra isso?”.

 

Ano perdido

Grandes bancos como Bradesco e Itaú estão revendo suas projeções de crescimento para o país 1,1% e 1,3%, respectivamente – e ainda poderão rever para percentuais menores ainda. O que significa, literalmente, que 2019 é mais um ano perdido.

 

Recomendação

O ex-governador Sérgio Cabral está condenado, em primeira instância, a penas que somam 197 ano, acaba de publicar um artigo no jornal carioca O Dia, onde recomenda ao presidente Jair Bolsonaro a privatização da Petrobras. “Em busca do tempo perdido, presidente, venda a Petrobras. Os bilhões de barris do pré-sal só serão usufruídos pelo povo brasileiro se forem explorados, no máximo, nos próximos dez anos. Há profissionais maravilhosos na Petrobras, de gabarito internacional. Todos serão absorvidos pelas empresas privadas”.

 

Almanaque 1

O Japão é a sociedade mais envelhecida do planeta. A razão de dependência – com população com 65 anos ou mais como proporção da população entre 20 e 64 – é de 47%. O gasto do setor público com previdência é de 10% do PIB. O Brasil gasta 14% do PIB com 13% de razão de independência.

 

Almanaque 2

As exportações brasileiras para a China cresceram de 1% do total em 1999 para 26% em 2018. Ao mesmo tempo, nossas importações da China se iniciaram com um valor de 2% em 1999 para alcançar 19% do total no ano passado.

 

Lá é cá

O Metrô do Distrito Federal soma R$ 731 milhões em prejuízos acumulados e será privatizado. O Metrô-DF paga R$ 12 mil de salário mensal a um condutor, que está em greve para reduzir a jornada e ganhar mais. Em são Paulo, o salário é de R$ 4 mil.

 

Virando as costas

Além de Magno Malta, um dos que mais ajudaram a campanha de Bolsonaro, também foram somados ao bloco daqueles para os quais o presidente virou as costas, o general Marco Aurélio Vieira, secretário nacional de Esportes, rifado do ministério de Osmar Terra e a primeira mulher se engajaram na campanha, coronel Márcia Amarillo, também alojada no projeto de Escolas Cívicas.

Frases

“Não se pode prender porque o crime é revoltante, como resposta a desejos sociais de justiça instantânea.”

Ministro Nefi Cordeiro, do STJ, ao soltar Temer