Escrito por Carlos Rubim

Não é segredo que o primeiro indicador de muitos problemas elétricos e mecânicos comuns é um aumento na temperatura. Por isso, a inspeção por infravermelho é um dos recursos de diagnóstico mais valiosos para a manutenção, já que permite descobrir rapidamente possíveis zonas problemáticas, sem interromper a operação. No entanto, além de detectar anomalias no processo produtivo e auxiliar na resolução de problemas do dia a dia da área industrial, os termovisores possuem aplicações improváveis em diversos segmentos.

  1. Aplicação Veterinária: Diagnóstico de mastite

O termovisor pode auxiliar na realização do diagnóstico da doença em bovinos, por exemplo, por meio da análise termográfica infravermelha de temperaturas superficiais da pele do úbere e tetos em relação a outras zonas do animal. A mastite, doença que causa infecção e inflamação nas glândulas mamarias das vacas e altera a qualidade do leite, é identificada pela diferença de temperatura nos tetos da vaca versus a temperatura interna dela, que geralmente é referenciada pelo olho, por ser o ponto mais quente. Assim é possível determinar uma pré infecção nesta região. Caso a temperatura da região mamária esteja mais elevada em relação ao olho, há indício de infecção, detecção mais precoce do que métodos convencionais de análise do leite, por exemplo.

  1. Aplicação na medicina esportiva: Diagnóstico de lesões de atletas

Em esportes como o futebol, por exemplo, os termovisores podem ser utilizados para identificar possíveis lesões musculares nos jogadores. Existem diversos estudos na medicina esportiva que revelam uma redução de até 65% no número de lesões em atletas por meio de análises pré treino. No início e término do aquecimento, são realizadas imagens infravermelhas que traçam um comparativo térmico do jogador. Se houver uma diferença de temperatura de 0,3°C entre uma coxa e outra, por exemplo, significa uma pré-disposição ao desgaste maior em um dos músculos. As partes mais avermelhadas na imagem termográfica muscular indicam as áreas mais desgastadas do músculo, ou seja, as mais suscetíveis a lesões. Com essa informação adicional, o fisiologista da equipe pode recomendar tratamentos preventivos e poupar o craque.

  1. Aplicação ortopédica: Prevenção de contusões

Assim como na medicina esportiva, o uso da imagem termográfica pode auxiliar no diagnóstico de lesões por meio do mapeamento visual da distribuição da temperatura do corpo. Mediante a um determinado esforço nos joelhos, por exemplo, se existir diferenças térmicas entre um e outro, o médico já identifica que pode haver algum tipo de problema. Apesar de tratar-se de um método não-invasivo, seguro e objetivo, a termografia não deve ser utilizada como ferramenta diagnóstica única. Exames clínicos devem ser realizados para interpretação dos termogramas. É uma técnica complementar.

  1. Aplicação oncológica: Identificação de células cancerígenas

Apesar de ser um método não aprovado pelos conselhos de medicina, os termovisores também podem auxiliar na pré-avaliação de câncer de mama. Certamente que a imagem termográfica não exclui a necessidade do teste convencional, mas pode ser um bom aliado no processo de diagnóstico, justamente por ser uma técnica não invasiva e totalmente passiva. A tecnologia do termovisor consegue identificar a temperatura superficial da mama e revelar se existem diferenças térmicas. Caso existam células cancerígenas, elas aumentarão a temperatura daquela região.

  1. Aplicação em infraestrutura: Isolamento térmico e infiltração

O setor de construção também pode ser beneficiado pelo uso dos termovisores. Por exemplo: um ambiente fechado precisa estar totalmente isolado para manter o calor. Quando o ar quente entra em um ambiente gelado, existe uma diferença de temperatura. A imagem térmica permite identificar pontos de vazamento e corrigi-los, provendo maior economia de energia do ar condicionado, por exemplo. Quando há vazamento, o equipamento de ar condicionado trabalha o tempo todo para tentar compensar e equilibrar a temperatura. Do mesmo modo funciona para uma casa que tenha que manter a calefação, não tão comum aqui no Brasil.

  1. Aplicação automotiva: Identificação de falhas

A termografia também é indicada para auxiliar na identificação de falhas em veículos, como fricção, impedância elétrica, falhas de ignição do motor, bloqueio de fluxo, além de vazamentos no sistema de climatização. Os termovisores possibilitam identificar padrões térmicos em diferentes partes do motor, como superaquecimento e funcionamento incorreto da câmera de um pistão. No caso de problemas com os discos de freio, por exemplo, quando ele pinça num disco, acontece a fricção e aquece muito. Ao fazer uma imagem térmica e observar três discos quentes, certamente o veículo está com problema, pois um deles não está funcionando.

Carlos Rubim é Gerente de Produto da Fluke do Brasil, companhia líder mundial em ferramentas de teste eletrônico compactas e profissionais.