Realizada entre 9 e 14 de abril de 2019, a edição 2019 do Salone del Mobile.Milano recebeu mais de 380 mil visitantes de 181 países. O evento, âncora da Milan Design Week, grande evento mundial do design que se realiza anualmente no mês de abril por toda a cidade de Milão, trouxe diretrizes importantes para um mundo que valoriza cada vez mais a sustentabilidade e a livre expressão, com originalidade e individualidade estética. Além destes insights, que devem ser tomados como imperativos para o projeto de mobiliário, interiores e arquitetura daqui por diante, trazemos nesta coluna 5 macrotendências que são importantes chaves para o morar hoje e no futuro.

** Acompanhe nas próximas edições da coluna Archi & Design mais tendências de Milão 2019.

Por Camila Gino, de Milão

  1. Inteligência artificial
Série A.I. de Philippe Starck para Kartell: uso da inteligência artificial sinaliza uma nova fase para o design e a produção de mobiliário

Uma inovação que dá sinais dos caminhos a serem percorridos pelo design nos próximos veio da Kartell, que celebrou seus 70 anos no Salone del Mobile. A marca apresentou o que chamou do primeiro objeto de design concebido com inteligência artificial, em um projeto desenvolvido com o designer Philippe Starck e a empresa norte-americana Autodesk, líder em engenharia 3D. Desta colaboração nasceu a série A.I. A proposta é acompanhar o mercado com mais dinamismo, reduzindo o tempo que uma nova peça leva desde sua concepção até ser disponibilizada ao público final. São caminhos associando a inteligência humana e a inteligência artificial – combinação que Philippe Starck chamou de “Inteligência Natural”, que o design de mobiliário e interiores já começa a desbravar. 

  1. Conexão
Bob Job, projeto de Stefan Borselius e Thomas Bernstrand para Blå Station: conexão com design e bem-estar

Móveis conectados, que permitem carregar celular e outros devices, com discrição e elegância são uma das soluções que se mostram bastante difundidas entre as grandes marcas do design mundial. No segmento corporativo, esta foi uma proposta que sobressaiu. Mas não só ali. Cozinhas, quartos, armários conectados. A proposta é de que a chamada internet das coisas se integre com suavidade, aparecendo o menos possível, agregando muitas funcionalidades ao dia a dia, aos móveis e à decoração, seja em casa, seja no trabalho. Entre as soluções de destaque, está a Coleção Bob Job, projeto de Stefan Borselius e Thomas Bernstrand para Blå Station. Trata-se de um sistema de mesas e prateleiras para um modelo de trabalho contemporâneo, descontraído e conectado.

  1. Luz arquitetônica
Nuée, de Marc Sadler para Foscarini: design poético, com visual marcante e cenográfico, resultado de extensa pesquisa de materiais

 

Projetos luminotécnicos que valorizam a luz em essência e seu potencial para criar diferentes atmosferas e valorizar o projeto arquitetônico e de interiores são uma forte tendência. Vão além do objeto em si para considerar de forma crescente a integração da iluminação à arquitetura. Entre as belas propostas trazidas ao salão bienal Euroluce está a luminária suspensa Nuée, de Marc Sadler para Foscarini.

  1. Biodesign
Série A.I. de Philippe Starck para Kartell: uso da inteligência artificial sinaliza uma nova fase para o design e a produção de mobiliário

Trazer inspirações da biologia, seja nas forma seja nas soluções funcionais para o projeto de mobiliário, arquitetura e interiores é uma tendência que vem encontrando formas cada vez mais belas de se expressar. A poltrona Osa, projeto de Sergio Batista para Uultis, expositora brasileira presente nos Halls de Design do Salone del Mobile.Milano pelo segundo ano consecutivo, com apoio do Projeto Brazilian Furniture, da Abimóvel e da Apex-Brasil, tem sua estrutura inspirada na mecânica das articulações humanas em um resultado visual leve, mas com estrutura forte e de elevada capacidade de sustentação.

  1. Sincronia
A Vitra apresentou suas coleções no Salone del Mobile em uma referência à estética das vitrines, com inspirações de ambientes completos e composições

A sincronia do design com o mercado se faz presente na preocupação com a sustentabilidade, com soluções cada vez mais focadas, principalmente, no uso de materiais ambientalmente adequados. Entre eles, a Kartell apresentou projetos com bioplástico, por exemplo. Também com soluções que possam, como já ocorreu com a alta costura, estar disponíveis em velocidade mais rápida (no estilo “see now, buy now”), novamente tendo na Kartell um expoente. E ainda em uma adequação à linguagem que dialoga com o usuário final. Marcas como a própria Kartell, a Vitra e a Magis dispuseram suas coleções em um visual muito próximo das vitrines de lojas de mobiliário e interiores, com ideias de composição e inspirações que dialogam com os interesses e aspirações do público. Um novo modelo de comunicação em sintonia com o dia a dia do usuário final.