Bruna Lofego

A demanda por salas comerciais em São Paulo apresentou melhora significativa em 2017, atingindo uma menor taxa de vacância em comparação aos últimos dois anos. As regiões com menos locais disponíveis são a Avenida Paulista (8%), o bairro do Itaim Bibi (10%) e a Avenida Juscelino Kubitscheck (12%), segundo pesquisa realizada pela consultoria imobiliária Colliers International Brasil.
Mas ainda assim, a cidade de São Paulo está repleta de prédios comerciais dos mais diferentes estilos disponíveis no mercado. Os condomínios comerciais hoje oferecem os mais variados tipos de serviços – que vão desde bicicletário a academia para os frequentadores, entre outros- e é viável encontrar aquele imóvel que atenda aos critérios adequados para a instalação de um coworking.
Quem busca um espaço de trabalho compartilhado quer ter ao seu alcance serviços que proporcionem praticidade e qualidade de vida no dia a dia. Por isso, escolher um prédio comercial para a instalação de um novo coworking tem como grande diferencial que boa parte desses prédios já são construídos ao redor de uma ótima infra-estrutura, tanto de serviços quanto de mobilidade.
Outras vantagens para abrir seu coworking em um prédio comercial são a segurança e a estrutura já voltada para a grande circulação de pessoas, além da possibilidade de contratos duradouros e da negociação facilitada. Além disso, caso a empresa expanda, é possível se adaptar incluindo mais salas ao coworking, sem ter que procurar por outro endereço ou fazer grandes reformas.

Atenção aos detalhes
Porém, é preciso pesquisar e ter atenção aos detalhes na hora de escolher um prédio comercial para a instalação do escritório compartilhado. Em minha busca por um espaço para a instalação do meu coworking em São Paulo, encontrei na época um ambiente ideal e de ótima localização, porém me deparei com um grande empecilho: a portaria não era 24 horas. Como para meu empreendimento esse era um fator essencial, não levei a negociação adiante.
Outros elementos, como a quantidade de elevadores que o prédio possui e o número de vagas de garagem também fazem a diferença por proporcionar um maior conforto e melhor experiência aos seus clientes. Cada condomínio funciona de uma maneira, em alguns as vagas são rotativas, em outros cada um conta com uma ou mais vagas fixas para estacionar. É importante checar essas informações e avaliar as necessidades do seu negócio antes de bater o martelo.
É bom analisar todos os prós e contras e pesquisar bastante antes de fechar um contrato. Cada espaço possui suas próprias regras de convivência, e é preciso se certificar de que elas estejam de acordo com a rotina e o perfil dos seus clientes.

*Bruna Lofego é criadora do método “Como montar um Coworking de Sucesso”, atraindo empreendedores e investidores de todo o Brasil interessados em abrir um espaço compartilhado. Considerada como uma especialista no segmento, é CEO e Founder da CWK Coworking, que conta com cinco espaços localizados em Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro.