Último Café das Nações de 2017 reuniu mais de 40 pessoas

7
Antônio Romão, conselheiro do Movimento Pró Paraná; Odone Fortes Martins – presidente fundador do DI&C; Ardison Nain Akel, cônsul do Marrocos; Thomas Amaral Neves, cônsul da Albânia e também presidente do Corpo Consular; Carlos Eduardo Guimarães, cônsul da Finlândia; Jonathan Bittencourt, cônsul da Tanzânia; Hajime Kimura, cônsul do Japão e Glaucio Geara, presidente da ACP.

Em 4 de dezembro aconteceu o último Café das Nações do ano de 2017, promoção do Diário Indústria & Comércio juntamente com o Corpo Consular do Paraná. O evento foi realizado na Associação Comercial do Paraná (ACP) e homenageou 6 países cujas datas de importância nacional recaem entre os meses de novembro e dezembro. Marrocos foi representando pelo cônsul Ardisson Nain Akel com data comemorativa em 18 de novembro. A República da Albânia, cujo cônsul também é o presidente do Corpo Consular, Sr. Thomas Amaral Neves, comemora sua independência em 28 de novembro. Dia 1º de dezembro é a data celebrada pela Romênia cujo cônsul é o Sr. Orcival Henning. Já o dia 6 de dezembro marca a oficialização da declaração da Independência da Finlândia, cujo cônsul no Paraná é o Sr. Carlos Eduardo Athayde Guimarães.
A República Unida da Tanzânia, homenageada pela data de 9 de dezembro, teve como representante o cônsul Jonathan Bittencourt e o Japão, pelo dia 23 de dezembro, recebeu os cumprimentos através do cônsul Hajime Kimura.
No Café das Nações, além dos cônsules de diversos países, também estiveram presentes representantes do governo do Estado do Paraná, da prefeitura de Curitiba, o presidente da ACP – Sr Gláucio Geara, presidentes das Câmaras de Comércio de Portugal, Uruguai e Paraguai e convidados de instituições públicas e privadas, totalizando 44 pessoas.
Marcando presença na ocasião, Rodolpho Zannin Feijó, o assessor de Relações Internacionais da Prefeitura disse que Curitiba pretende reforçar laços com organismos internacionais através de projetos e ações. “O prefeito é uma pessoa com mentalidade global e a inovação deve ser um dos pontos fortes da gestão”, afirmou.