Sapato coloca a moda em pé

Jotta Sybbalena para Envizza

As novidades de verão 2018 apresentadas no 26. Salão Internacional do Couro e do Calçado, realizado nesta semana com 380 expositores em Gramado-RS, são abundantes em tendências. O designer Jotta Sybbalena, após um giro pelas ruas de Nova York, relacionou 42 itens e concluiu: “Uma marca só não consegue realizar tudo isso”. Ele conseguiu listar essas quatro dezenas no computador da Eivizza, marca calçadista mineira pela segunda vez presente ao evento gaúcho, mas “usar tudo é uma loucura”.
Ah, por que a pesquisa foi feita em Nova York e não na Europa, onde também a temperatura já está subindo? Porque é a Meca do consumo, do comércio. “Os lojistas americanos já foram para a Europa, limparam conceitos e compraram o que vai vender”. E os quase vinte mil lojistas que foram a Gramado também estão ávidos por renovar suas vitrines. E vender.
Anotem: em termos de detalhes, os calçados trazem babados, flor em relevo, nós, laços, estampas florais, camuflados e country; bordados até nos solados, fivelas com pedrarias; os insetos continuam nos pés femininos e muita amarração de voal ou cetim nos tornozelos. Atenção para as miçangas – foram eleitas a estrela da estação, formando coloridas tramas.
Além de couro (opção moderada), há muito jeans (três cores: claro, médio e escuro) e cortiça. Os metalizados permanecem, mas vão chegar com cores fortes, como azul e vermelha. Por falar em brilho, o glitter também fica e o verniz é sugerido até para os pés masculinos. E, em termos de cartela, vem aí os azuis, salmão, carmim, rosê, cinza, branco.
Sandálias com saltos altos, quadrados, finos ou baixos. Tem de tudo, incluindo os tratorados. As rasteirinhas com pedrarias permanecem fazendo verão. Mas o tênis, enfim, é o que vem mais inovador: a sola saiu da caixa e ganhou a juta, ficando com ares de espadrilles. E se preparem para subir nos tamancos! Ou descer, com as flats e mules rasteiras.


Dumond

MOLECA

Mercado internacional
O número de 200 importadores convidados é o maior já registrado em 26 edições do SICC, salão calçadista dedicado às estações mais quentes do ano. E é também o maior contingente de indústrias participantes. “Esse é um momento de expansão do produto nacional no exterior, e é importante manter e ampliar os canais”, observou Frederico Pletsch, diretor da Merkator, promotora do evento encerrado na quarta-feira.
A América Latina mantém um peso importante nos negócios realizados pelas indústrias brasileiras com o mercado nacional. Apenas da Bolívia, mercado que tradicionalmente é receptivo às marcas nacionais, compareceram dez compradores. Destinos mais distantes, no entanto, também marcara presença, como russos, filipinos, sul-africanos e norte-americanos.
Os dados da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) mostram que nos dois primeiros meses desse ano as receitas com o comércio exterior cresceram 10,8%, aumentando a importância das exportações para o setor. Com o mercado interno ainda incerto, aumenta importância das exportações.

Monferraro

“O momento político recente do país poderia indicar uma feira em que os lojistas estivessem mais cautelosos em função da incerteza. Não foi o que aconteceu. O varejo veio para Gramado disposto a fechar pedidos, o que gerou alguma surpresa”, comemorou Frederico Pletsch, já anunciando a próxima edição para os dias 21, 22 e 23 de maio. E se confirma a realização da 40 Graus Feira de Calçados e Acessórios no Rio Grande do Norte, nos dias 5, 6 e 7 de março de 2018, no Centro de Convenções de Natal.

Leia Também: