QUANDO A TRISTEZA SE TORNA DEPRESSÃO

Cada emoção que sentimos tem a sua função. Alegria, raiva, medo, … e a tristeza, para que serve? Existe alguma utilidade em se sentir triste? A tristeza é uma emoção descrita como desagradável, com conotação de algo negativo que vivenciamos. Ela aparece em situações conflituosas, quando existe a necessidade de um retraimento, uma mudança de rumo, pensamento reflexivo ou procura de recuperação do corpo e da mente. A tristeza pode surgir em momentos de grande decisão e incertezas, quando se lida com situações novas com a ansiedade como precedente. Ocorre também em momentos de estresse agudo (falecimento, desemprego, …), quando uma reorientação de vida é necessária. Emoções como a tristeza podem ocorrer pós-cirurgia ou mesmo após infecções, com o retrair-se para a recuperação do corpo. Uma pessoa sofrendo de estresse crônico, como problemas profissionais, de relacionamento ou traumas que persistem, está sujeita a que a tristeza se torne facilmente depressão.

Na depressão o humor se torna constantemente rebaixado, com tendência a uma tristeza mais duradoura e profunda, onde o prazer para as realizações está reduzido e perspectivas de vida são pobres. Neste conjunto de sintomas a pessoa pode apresentar alterações de sono, de apetite e de peso e dificuldades na atenção.

Na tristeza existe um movimento que recolhe, mas que realiza e renova. Na depressão uma estagnação, tristeza que não passa ou demora para passar, que nos dificulta a vida, modificando nossos pensamentos, predominando aquele sentido negativo, com possibilidade de alterar nossas escolhas e comportamentos.

 

Letícia Cristine Ribas, Psiquiatra da Infância e Adolescência

Ambulatório da Infância e Adolescência da Porto Seguro Clínica e Pensão Protegida

 

Referências:

Caminha RM, Caminha MG. Baralho das emoções. Porto Alegre, RS: Sinopsys Editora, 2011.

Leia Também: