Presidente do BNDES mantém serenidade em relação aos rumos da economia do país

Em relação à JBS, na qual a subsidiária do banco BNDES Participações detém 21% do capital, Maria Sílvia não quis fazer comentários

A presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Maria Sílvia Bastos Marques, disse na quinta-feira, após abrir o 29º Fórum Nacional, promovido pelo Instituto Nacional de Altos Estudos (Inae), que não sabe ainda os rumos que a economia brasileira vai tomar depois dos últimos acontecimentos políticos, envolvendo a figura do presidente Michel Temer. Maria Sílvia afirmou que o momento “é de trabalhar ainda mais, com serenidade, e aguardar o que vai acontecer”.
O empresário Joesley Batista, do frigorífico JBS, denunciou na quinta-feira que Temer teria concordado com pagamento de recursos para manter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha.
Em relação à JBS, na qual a subsidiária do banco BNDES Participações (BNDESPAR) detém 21% do capital, Maria Sílvia não quis fazer comentários. Citou apenas que como se trata de uma participação acionária, sua valorização ou não depende da evolução do próprio mercado. “Tudo isso está sendo acompanhado com atenção, com a diligência que nós temos que acompanhar.”
O banco é investigado por favorecimento à JBS pela Polícia Federal na Operação Bullish, deflagrada na última sexta-feira, quando 37 servidores da instituição foram levados coercitivamente para depor. A Comissão de Apuração Interna criada no último dia 16 pelo BNDES para avaliar todos os fatos relacionados às operações realizadas pelo Sistema BNDES com a empresa JBS, tem prazo previsto de 45 dias para apresentar resultados. O prazo pode ser prorrogado por igual período. “O limite, o prazo máximo, são 90 dias”, sublinhou.
PARQUE OLÍMPICO
Maria Silvia anunciou que o Parque Olímpico do Rio, situado na zona oeste da capital fluminense, poderá ser incluído no Programa de Parcerias e Investimentos (PPI) do governo federal, visando a estruturação de um projeto de parceria público privada (PPP). A decisão foi informada à presidente do BNDES pelo ministro do Esporte, Leonardo Picciani. “Ele (Picciani) faz um ofício para o ministro Moreira Franco, pedindo a inclusão”, disse Maria Sílvia.

Leia Também: