Parceria garante construção de centro para animais silvestres

Uma parceria firmada, nessa quinta-feira (10) entre o Instituto Klimionte Ambiental, o Consórcio Energético Cruzeiro do Sul, responsável pela Usina Hidrelétrica de Mauá, com o apoio do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e da Prefeitura de Ponta Grossa vai garantir a construção e viabilização do início da operação de um Centro de Tratamento de Animais Silvestres (CETAS) nos Campos Gerais.    Curitiba, 11/09/2017.Foto: Divulgação IAP                           Uma parceria firmada nessa quinta-feira (10), entre o Instituto Klimionte Ambiental, o Consórcio Energético Cruzeiro do Sul, responsável pela Usina Hidrelétrica de Mauá, com o apoio do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e da Prefeitura de Ponta Grossa, vai garantir a construção e viabilização do início da operação de um Centro de Tratamento de Animais Silvestres (CETAS) nos Campos Gerais.

“Foram três anos de negociações, reuniões, documentos para chegar nesse modelo e nessa parceria. Hoje, vendo o projeto se concretizar e tendo certeza de que vai acontecer, é muito gratificante”, disse a diretora de Licenciamentos Especiais do IAP, Edilaine Vieira.

De acordo com ela, a parceria se deu através de uma intermediação que o IAP fez entre o Consórcio e o Instituto Klimionte. A construção de um centro desta natureza é uma das condicionantes do licenciamento ambiental da Usina de Mauá, para atender a fauna afetada pelo próprio empreendimento. “Nós indicamos o instituto Klimionte pelo trabalho voluntário que vem realizando na região há muitos anos”, explicou.

Ao todo, espaço terá 10 mil metros quadrados com recepção, administrativo, ambulatório, enfermaria, quarentena, cozinha, depósito e recintos para os animais. Ele será gerenciado pelo Instituto Klimionte e a primeira fase das obras será construída pelo Consórcio Cruzeiro do Sul.

O CETAS atenderá animais 24 horas por dia e poderá auxiliar em alguns resgates específicos. “Vamos trabalhar com três turnos, com no mínimo de 30 a 36 pessoas, entre funcionários e estagiários”, conta Robson Carlos Klimionte, biólogo do Instituto.

“Esse é um projeto que vem atender uma questão ambiental importante identificada pelo IAP e a gente conseguiu, felizmente, identificar uma instituição que trabalha com isso. Nós fizemos uma união de esforços para cumprir uma exigência do licenciamento, mas também para cumprir o aspecto socioambiental muito forte na empresa”, conta Paulo Henrique Rathunde, superintendente técnico do Consórcio Energético Cruzeiro do Sul.

O consórcio deverá licitar a empresa que fará a obra nos próximos dias e a previsão de investimento é de R$ 260 mil. “Acreditamos que dentro de 60 dias já teremos o início das obras que tem até um ano para ficar pronto”, disse Rathunde.

O Centro será construído no Horto Florestal Cará-Cará em terreno doado pela prefeitura de Ponta Grossa. “Para o município e para a região, a construção do CETAS representa um ganho enorme, tanto em aspectos científicos, culturais e sociais. Nós poderemos mostrar para a comunidade a grande a importância da preservação da nossa biodiversidade”, declarou a vice-prefeita da cidade, Elizabeth Silveira Schmidt.

Nesse primeiro momento, centro atenderá aves nativas silvestres apreendidas em operações de fiscalização ambiental e resgatas de situações de risco para que os animais possam retornar à natureza. Para dar condições de atendimentos para outras espécies de animais, outra parceria, nos mesmos moldes, está sendo trabalhada pelo IAP.

Além do tratamento e resgate dos animais, o Centro vai coletar dados biológicos dos animais para firmar um banco de informações que vai contribuir para a preservação da fauna local.

Leia Também: