Azevedo: o Paraná está sendo relegado

Nota enviada ao Turismo DI&C pela Abav Paraná, seccional da Associação Brasileira de Agências de Viagens, dia 17 de julho: “Enquanto são anunciados novos voos internacionais para Santa Catarina, o Paraná continua sem perspectivas de novas operações aeroportuárias. Essa semana, Florianópolis anunciou novas conexões com Panamá e Europa, por meio da operação da Copa Airlines e da TAP, respectivamente. O Paraná continua fora do planejamento das cias aéreas internacionais, devido a sua falta de infraestruturas operacionais.

‘Estamos acompanhando o alavancar de estados vizinhos ao Paraná, a partir do investimento nas infraestruturas relacionadas aos transportes aéreos, que são exemplos que mostram a importância destes meios de transporte no desenvolvimento macrorregional e o Paraná continua sendo relegado’, salienta o presidente da Associação Brasileira das Agências de Viagens do Paraná (Abav-PR), Antonio Azevedo.

Faz-se necessário o alongamento da pista do Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais (PR), de 2.200 metros para 3.400 metros, pois só assim o aeroporto poderá comportar a operação de aeronaves de grande porte, para receber voos intercontinentais.

Para Antonio Azevedo, isso afeta especialmente os aeroportos Afonso Pena e o das Cataratas por serem polos de grande fluxo de passageiros e de cargas. ‘Na realidade, os demais aeroportos do Paraná também merecem ser aprimorados e o Paraná mantém-se como destino de segunda classe, que só permite acesso a voos internacionais através de conexões em outros Estados, demoradas e onerosas, sendo ultrapassado pelos demais aeroportos da região Sul e Sudeste, cabendo à Infraero o encaminhamento de uma solução, que pode ser a de privatização dos dois principais aeroportos já apontados’, diz Azevedo”.