Oficina de Música retoma curso de Ópera

365
Os cursos ainda contam com vagas

Estudo de personagem, interpretação vocal, atuação cênica e técnica vocal. Esses são alguns elementos que envolvem a montagem de uma ópera e que serão trabalhados no curso “Ópera Studio”, o mais novo curso de música erudita inserido na programação da 35ª Oficina de Música, que começa a partir do dia 27 de janeiro, em Curitiba.

Os cursos ainda contam com vagas e recebem matriculas até o próximo dia 14, as inscrições devem ser realizadas pelo site  www.oficinademusica.org.br.

A obra de Wolfgang Amadeus Mozart, a Flauta Mágica, será estudada e apresentada. A montagem do espetáculo tem a coordenação musical do também coordenador de música erudita da Oficina, Abel Rocha e direção cênica de Willian Pereira.

“É uma das obras mais conhecidas de Mozart. Para quem não tem intimidade com o fenômeno ópera, é possível ver que é uma música muito palatável, divertida, de fácil assimilação”, disse o diretor cênico. “Vamos experimentar isso, os alunos da Oficina num curto espaço de tempo vão realizar um espetáculo brincando com as possibilidades que cada aluno apresenta”, explicou Pereira.

Para o coordenador de música erudita da Oficina, Abel Rocha, o estilo é uma convergência de linguagens. “Ópera é talvez a atividade artística que congrega ações nas mais diversas áreas. Englobam ações nas áreas de Canto, Direção Musical, Direção Cênica e Artes Visuais”, disse.

“Os participantes das diversas oficinas se envolverão em todas as etapas de preparação e realização do espetáculo, desde o ensaio de música à criação de adereços, oferecendo uma oportunidade única de formação”, completou Rocha.

Grande procura

Não oferecidas desde 2012, as atividades de ópera tiveram grande procura para esta edição. “Foram mais de 80 inscritos até agora para as várias atividades do núcleo de ópera da 35ª Oficina”, explicou Rocha.

A ideia do curso é que os alunos, ao final das aulas, estejam preparados para as apresentações da ópera que será encenada durante a oficina, nos dias 4 e 5 de fevereiro. O curso, dividido em duas categorias, é composto pelo núcleo de ópera e masterclasses de técnica vocal.

No núcleo de ópera, o aluno realizará a montagem de um musical, e serão trabalhados aspectos que envolvem a organização e preparação de uma ópera, enquanto que no Masterclasses de Técnica vocal, aspectos da técnica vocal e do canto como respiração, técnica vocal, postura, preparação e interpretação de repertório, serão desenvolvidos visando recitais de canto que serão feitos durante a oficina.

Os participantes das Masterclasses de Técnica vocal também atuarão no coro da ópera. As aulas serão realizadas no Guairinha e terão como professores vocais a soprano carioca Rosana Lamosa, o barítono Leonardo Neiva.

Flauta em português

Um diferencial da Flauta de Mozart será a sua apresentação em português. De acordo com Abel, o musical no idioma local aproxima a ópera das pessoas. “Um dos grandes pontos é a execução da ópera em português, numa realização que oferece um contato muito mais direto com o público, além de ser uma das mais modernas estratégias pedagógicas na área”, comenta o diretor geral.

O professor Willian Pereira ainda explica que usar o idioma português é uma forma de provar que a nossa língua é melodiosa. “Não é difícil cantar em português, pois é uma língua muito rica, muito maleável para isso. E essa é a função da arte e do teatro: comunicar, então quanto mais você dá elementos para que essa comunicação seja direta, melhor”, finaliza.

Serviço:
35ª Oficina de Música de Curitiba
Datas: 27 de janeiro a 8 de fevereiro
Inscrições e programação: www.oficinademusica.org.br