Jogo histórico do Atlético-PR na Copa do Brasil

423

Não é todo dia que acontece isso. A vitória de 5 a 4 do Atlético Paranaense sobre o Tubarão-SC, na noite da quarta-feira (21/02) vai entrar para a história da Arena da Baixada. Com emoção e gols de sobra, o Furacão passou para a terceira fase da Copa do Brasil e agora vai enfrentar o Ceará que venceu o Londrina por 2 a 1.

O jogo mais emocionante do ano no Brasil começou com amplo domínio do Atlético. O time de Fernando Diniz teve muita movimentação ofensiva no primeiro tempo.

Os gols que não saíram na etapa inicial, vieram no segundo tempo. E um atrás do outro!  Bergson que entrara no lugar do ineficiente Ribamar, no primeiro lance de frente para o gol, aos seis minutos, empurrou a bola para rede, de carrinho, aproveitando cruzamento de Carletto.

Mateus Barbosa, para o time catarinense, empatou logo quatro minutos depois. Aos 18´, veio a primeira virada no placar, quando Batista, de cabeça subiu bonito e testou, entre os zagueiros para o fundo da rede.

Se na frente o Atlético levava perigo, lá trás, corria sérios riscos. O sistema de três zagueiros de Diniz não funcionou e defensivamente, nem Jonathan e nem Carletto contribuíram para a má jornada de Thiago Heleno e Paulo André.

Aos 20´, Diniz tirou Wanderson, um dos zagueiros e colocou Lucho Gonzáles. E não demorou para o Atlético empatar o jogo. Bergson arriscou forte de esquerda de fora da área, o goleiro rebateu e Rosseto mandou para dentro: 2 a 2.

Aos 30´, Guilherme sofreu pênalti e ele mesmo converteu: 3 a 2 para o Atlético na segunda reversão no placar.

Mas, o jogo estava longe de ser definido. Aos 32´, o zagueiro Mateus Costa, do Tubarão, subiu e cabeceou firme para as redes. Sete minutos depois, para a incredulidade geral, o time catarinense armou rápido contra-ataque e a bola chegou para Romarinho que rolou para Daniel Costa mandar no canto superior de Santos: 3 x 4.

O jogo continuava aberto. Restavam seis minutos e mais os acréscimos e o técnico Fernando Diniz ouviu os apelos da torcida e colocou Felipe Gedoz que viraria um dos protagonistas do incrível jogo. Rosseto cedeu lugar para Gedoz aos 42´.

O gol do quarto empate da partida veio com Thiago Heleno, de cabeça e o quinto e decisivo gol, veio dos pés, em chute potente de Felipe Gedoz, aos 47´.