O coronel da reserva da PM de São Paulo, Antônio Sérgio Marsola, foi preso, acusado de participar de quadrilha

Uma ação conjunta das Polícias Civil do Rio de Janeiro e do Paraná prendeu uma quadrilha que atuava no comércio de drogas, remédios ilegais, proibidos ou controlados pelos Correios. Sete pessoas foram presas, sendo cinco no Rio e duas no Paraná, mais especificamente em Foz do Iguaçu. Há mais de dez anos a quadrilha comprava os produtos no Paraguai, atravessava a fronteira e despachava os produtos pelos Correios a todos os cantos do país. Um dos presos no Paraná é o coronel da reserva da PM de São Paulo, Antônio Sérgio Marsola. Num primeiro momento, Marsola foi identificado como coordenador de segurança da Usina de Itaipu. A hidrelétrica emitiu nota: “Antônio Sérgio Marsola não faz e nunca fez parte do quadro de pessoal da empresa. Ele foi admitido há pouco menos de um mês para trabalhar na equipe de segurança do Parque Tecnológico Itaipu (PTI). A função dele era apenas operacional. Não ocupava cargo de gestão. Ao ser informada da prisão ocorrida na manhã desta quinta-feira (8), na Operação Eros, a diretoria do PTI anunciou o desligamento sumário do empregado recém-contratado”.