Pais e alunos do Colégio Marista Santa Maria receberam informações com muita animação durante a saída

Na última quinta-feira, 25 de outubro, o grupo de palhaços Especialistas da Alegria, do Hospital Erasto Gaertner (HEG), aliou educação e conscientização em uma só ação. Os voluntários divulgaram a campanha Outubro Rosa, que busca alertar sobre a importância da prevenção do câncer de mama e colo de útero, para pais e alunos do Colégio Marista Santa Maria.

A abordagem foi feita nos horários de saída da escola, dos turnos da manhã e da tarde. O grupo distribuiu lenços, balões e panfletos com orientações sobre prevenção, diagnóstico precoce e práticas saudáveis necessárias para melhor qualidade de vida, feitas pelo corpo clínico do HEG. A ação, que busca conscientizar sobre a prevenção do câncer de mama e colo de útero, é voltada para os pais e responsáveis dos alunos, mas ensinando também as crianças desde cedo que prevenir é sempre o melhor remédio.

De acordo com dados do Registro Hospitalar de Câncer do Erasto Gaertner, dos mais de 2.500 novos casos da doença registrados no ano passado, 23,4% deles eram de mama e 7,3% de colo de útero – estes são os tipos mais comuns de câncer em mulheres, juntamente com o de pele. Segundo a diretora Geral do HEG, Dra. Carla Martins, “50% das nossas pacientes com câncer de mama chegaram ao hospital nos estágios iniciais da doença, em que nossos índices de cura são superiores a 90% e, em relação ao câncer de colo de útero, o incremento se repetiu. Acreditamos que movimentos como a campanha Outubro Rosa fazem toda a diferença neste sentido de consciência sobre a importância da prevenção e da informação”, destaca.

Para o diretor do Colégio Marista Santa Maria, Everson Caleff Ramos, a ação alerta a comunidade de maneira diferente e interessante. “Acreditamos que ações de conscientização como essa são importantes para lembrar a importância de manter os exames em dia, prevenindo o câncer de mama e outras doenças. A instituição está sempre aberta para contribuir para que nossa comunidade de pais, alunos e educadores sejam alertados, ainda mais quando a abordagem acontece de forma tão leve e lúdica como foi esta iniciativa”, conclui.