Emendas ajudam portadores de deficiência

1

Instituições que trabalham no atendimento a portadores de deficiência apresentaram, recentemente, o resultado de emendas destinadas pela Câmara Municipal. O Centro Integrado de Prevenção Marisa Pires Sella, ligado à Associação Mantenedora do Centro Integrado de Prevenção (Amcip), inaugurou uma “sala negra”, para atendimentos às crianças. Já a Escola de Educação Especial 29 de Março adquiriu equipamentos de fisioterapia, em especial bicicletas “Petra”, que pretendem desenvolver condições físicas necessárias à locomoção dos alunos com paralisia cerebral. As novidades foram conferidas pelo vereador Zé Maria (PPS), autor das emendas às entidades.
O Centro Integrado de Prevenção Marisa Pires Sella é um programa da Amcip que atende crianças de zero a seis anos, portadoras de qualquer deficiência. Individualizados, os atendimentos são realizados em diversas áreas, como fonoaudiologia, fisioterapia e pedagogia. As famílias dos pacientes também recebem orientações. A instituição, conforme destaca Zé Maria, utiliza com exclusividade a inovadora metologia Snoezelen, voltada à estimulação. Por meio de curso, foram capacitados a aplicá-la profissionais de diferentes estados.
Fundada em 1948, a Escola 29 de Março atende 105 alunos, de cinco a 50 anos, portadores de diversas deficiências. Eles têm atendimentos multidisciplinares e participam, além de atividades voltadas à escolaridade, de programas como artesanato, educação física e comunicação alternativa. A instituição também investiu na sala de informática e em cadeiras e mesas específicas, que facilitam o acesso dos usuários.
O vereador Zé Maria ainda representou a Casa na abertura do 6º Festival de Dança Adaptada e Artes (Acordar), promovido pela Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude (SMEL). Participam do evento 150 alunos, portadores de deficiência física, visual, intelectual e auditiva, de 18 escolas especiais de Curitiba.
“Participar deste momento significativo, onde a criatividade evidencia-se através da arte, do movimento, da expressão que energiza e faz destacar o estudante especial, que mostra a sociedade todo o seu potencial e talento artístico, é ímpar”, disse o parlamentar. “Sinto-me honrado em fazer parte deste grupo que apoia, confia e acredita na singularidade coletiva que cativa e encanta a todos e nos mostra a inclusão de fato e de direito.”