Curitibana Neomode completa um ano e anuncia novos serviços

Fabíola Paes, coordenadora do laboratório de Varejo da Universidade Positivo e uma das fundadoras da Neomode, durante a Mercosuper

Em um ano de atividades, a Neomode cresceu sem perder sua característica principal: a resiliência e sua essência criativa. É com base nisso e na desburocratização que a empresa consegue rever as próprias bases e também aprimorar seu campo de ação, diminuindo o tempo entre maturação de ideia e resposta exigida pelo cliente. Atualmente a empresa já conta com 16 profissionais engajados e dispostos a oferecer facilidades para que o consumidor tenha a conveniência de comprar em qualquer lugar, a qualquer hora de forma simples e prática.
Além dos quatro sócios fundadores, a startup dispõe de um Conselho Consultivo e, como relata Fabíola, “o desafio diário é sincronizar todo o time na cultura startup, manter foco nas entregas do produto baseado em retorno contínuo do cliente e a gestão enxuta dos recursos financeiros”.
Entre as novas soluções ofertadas aos clientes estão sistemas de integração voltados para e-commerce, planejamento de recursos, gateway de pagamento, programa de fidelidade e engajamento, envio de ofertas e promoções, notificações personalizadas, recompra automática e conexão a comunidades e redes sociais.
Outra solução é a conversão de compras, em que o cliente escolhe a interface preferida (aplicativo, chatbot ou web) e a conveniência de retirar o produto no ponto de venda mais próximo. A Neomode desenvolve, ainda, soluções para pagamentos, automatizando o processo e disponibilizando a opção ‘pague com um clique’, além de relatórios analíticos completos, com painéis de dados gerenciais e operacionais e indicadores variados.
Conforme Fabíola, tudo isso só é possível graças a maturidade do grupo que entende a importância de rever constantemente seus conceitos, aprendendo com erros e acertos, e que – como no basquete -, utiliza o conceito de pivotar, ou seja, “girar em outra direção e testar hipóteses mantendo sua base para não perder a posição já conquistada”.
“Tudo isso, nos permite crescer e ampliar o escopo de atuação da plataforma de vendas digital para o varejo por meio de diversas interfaces”, observa, lembrando, inclusive, a retomada do primeiro nome da empresa (por alguns meses a startup se chamou Neostore).

E os trabalhos, assim como os desafios, avançam rapidamente. A ideia da Neomode é consolidar a plataforma de vendas digital, ampliar o leque de serviços ofertados para as companhias, facilitar todo o gerenciamento de compras e estoque, gerando mais conforto e interação entre os compradores. “Temos uma oportunidade de ouro nas mãos e vamos inovar todos os dias para conquistar outros clientes nacionais e internacionais”, observa o sócio Carlos Balsalobre, responsável pela área de desenvolvimento da startup.

Leia Também: