Começaram nesta semana as obras de despoluição dos bueiros e galerias da área central de Curitiba. As obras já contemplam as metas previstas no Plano Municipal de Saneamento Básico, que foram incorporadas ao novo contrato de saneamento de Curitiba, firmado com a Sanepar em junho deste ano.

Os serviços começaram pela Avenida Vicente Machado, entre a Alameda Presidente Taunay e a Rua Coronel Dulcídio, e ainda vão abranger a Rua Coronel Dulcídio, entre a Avenida Vicente Machado e Rua Gutemberg; a Rua Gutemberg, entre a Coronel Dulcídio e a Alferes Ângelo Sampaio; a Alferes Ângelo Sampaio, entre a Gutemberg e Alameda Dom Pedro II; e a Alameda Dom Pedro II, entre a Alferes Ângelo Sampaio e o Bosque Gomm. O prazo de execução de toda a obra é de oito meses, com conclusão prevista entre abril e maio de 2019.

Rio Ivo
Esta é a segunda grande intervenção realizada para melhorias no Coletor do Rio Ivo. Esse trecho da obra, por onde passa o rio, teve as galerias ampliadas com a colocação de estruturas de concreto ainda na década de 1990, durante a primeira gestão do prefeito Rafael Greca, com o objetivo de reter o volume de água e evitar cheias.

Só o começo
O contrato em vigor com a Sanepar, lembrou o prefeito, faz com que Curitiba tenha o maior investimento em saneamento da história da cidade. “Curitiba, que já é uma das melhores capitais em saneamento básico do Brasil, vai atingir um novo patamar com a aplicação de R$ 3,5 milhões em obras de água, esgoto e saneamento.”

Na modalidade de contrato de programa e validade de 30 anos, o documento segue as premissas do Plano Municipal de Saneamento Básico, aprovado em dezembro do ano passado pelo prefeito.

O plano inclui e amplia metas na área de saneamento, tanto no abastecimento de água quanto na coleta e tratamento de esgoto. “Além dos indicadores que temos para garantir a regularidade das ligações, ainda existe a previsão da revisão e substituição das tubulações antigas da rede na região central”, comentou o diretor-presidente da Sanepar, Ricardo Soavinski, sobre os termos do contrato, em visita ao prefeito.

Além dos investimentos em infraestrutura, há previsão de repasse de verba para o Fundo Municipal de Saneamento Básico. Os valores vão permitir ações de educação e despoluição ambiental, como a ampliação da fiscalização de ligações clandestinas, monitoramento da água dos rios, implantação de ecopontos para destinação de resíduos sólidos e de construção civil, entre outros.