Bowie, O Homem que Caiu na Terra

443

David Bowie escreveu roteiros, dirigiu videoclipes, assinou trilhas sonoras e atuou em dezenas de filmes e programas de TV em seus mais de 40 anos de carreira. Esse período da cultura pop é percorrido na mostra de cinema O Homem que Caiu na Terra, que reúne 24 filmes de ficção de curta, média e longa. A retrospectiva acontece em Curitiba de 20 a 28 próximos, na Caixa Cultural, incluindo o Ciclo de Ideias, com palestras nos dias 21 e 23.
Os títulos selecionados reúnem desde clássicos – como o longa-metragem que dá nome à mostra, O Homem que Caiu na Terra (1976) – até obras mais obscuras, como curtas-metragens nos quais Bowie atuou nos anos 1960 e 70, e também filmes infantis. Entre os longas, um destaque: Fome de Viver (1983), com Catherine Deneuve e Susan Sarandon no elenco, será projetado com legendagem descritiva para deficientes auditivos.
“A carreira de David Bowie foi marcada por diferentes personagens em produções de cinema e teatro, o que lhe rendeu prestígio e independência como ator, além de infinitos elogios por suas atuações”, lembra a curadora Roberta Sauerbronn.
Seu legado marcou também a música, a moda e o comportamento. Aspectos desse universo pop também entram em cena. No dia 21, às 19h, o impacto de Berlim na criação de David Bowie é tema da roda de conversa com o jornalista curitibano Abonico Smith, que tem devoção pelo rock, e do DJ Hermes Pons, da Zootek, primeira cooperativa de música eletrônica da América Latina.
E no dia 23, às 19h, o jornalista Alessandro Andreola e o músico Cassiano Fagundes debatem o milenar interesse do ser humano por substâncias psicoativas e sua relação com a contracultura. O Ciclo de Ideias tem entrada grátis, tradução simultânea em libras e classificação etária de 16 anos. Os ingressos para os filmes custam quatro e dois reais, que devem ser retirados nos dias das exibições, na bilheteria da Caixa ( Conselheiro Laurindo, 280), http://www.caixacultural.gov.br/.