O senador Álvaro Dias transferiu-se para o Podemos, no ano passado, pensando na candidatura à Presidência

Álvaro Dias está na política há 50 anos e em 2018 pode tentar alcançar o objetivo mais ambicioso de sua longa carreira: ser candidato à presidência da República.
Exercendo seu quarto mandato como Senador, agora sob as cores do Podemos, Álvaro Dias é paulista de Quatá, mas criou-se em Maringá. Lá foi radialista, formou-se em História pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) e nesta cidade foi eleito vereador pela primeira vez em 1968, pelo então MDB. Depois foi deputado estadual, deputado federal e Senador, pela primeira vez, em 1982. Disputou e venceu as eleições para o Governo do Estado em 1986. Perdeu outras duas em 1994 e 2002, para Jaime Lerner e Roberto Requião, respectivamente. Deixou o PSDB, em 2015, indo para o PV, já planejando uma possível candidatura à Presidência da República e em julho do ano passado se transferiu para o Podemos.
Álvaro Dias é o autor da PEC 333/2017, que limita o foro privilegiado. O texto restringe o foro, em caso de crime comum, apenas ao presidente e vice-presidente da República, e aos ministros do STF, Câmara e Senado. “O foro privilegiado é uma excrescência, e estabelece uma contradição, uma incoerência, porque o artigo 5º da Constituição afirma que todos são iguais perante a lei. O foro impõe a ideia de que algumas pessoas são superiores às demais. Como se houvesse uma casta especial de privilegiados. Isto precisa acabar”, defende o senador.