Biografias femininas estão nos palcos de Curitiba neste fim de semana – a vida da bailarina Isadora Duncan na Caixa Cultural e, no Teatro Fernanda Montenegro, o espetáculo Master Class traz Christiane Torloni interpretando a soprano Maria Callas. E na última semana deste mês entra em cena Dalva de Oliveira – Estrela do Brasil, que homenageia uma das mais célebres cantoras brasileiras (1917-1972).
O show, com Ithamara Koorax e Soraya Ravenle, comemora o centenário de Dalva de Oliveira. A aclamadas intérpretes revivem a trajetória musical percorrida por Dalva, passando pelos sucessos que marcaram a carreira dela, tais como Ave Maria no Morro (Herivelto Martins), Olhos Verdes (Vicente Paiva), Máscara Negra (Zé Kéti / Pereira Matos), Bandeira Branca (Laércio Alves / Max Nunes) e Zum Zum (Paulo Soledade / Fernando Lobo), entre tantas outras.
Soraya Ravenle e Ithamara Koorax também percorrem as canções criadas para o duelo musical travado entre Dalva e Herivelto Martins, seu primeiro marido, durante o processo de separação do casal. Marcado por polêmicas e batalhas musicais, nas quais os músicos se acusavam mutuamente pelo fim da união, o período gerou grandes canções e interpretações calorosas. As farpas trocadas entre eles eram acompanhadas com muito interesse pelos fãs da dupla, que associavam as letras das músicas ao casamento desfeito. No duelo musical surgiram grandes composições como Errei Sim (Ataulfo Alves), Que Será (Marino Pinto/ Mário Rossi), Vingança (Lupicínio Rodrigues), Calúnia (Wilson Batista) e Segredo (Herivelto Martins / Marino Pinto).
Dalva de Oliveira, de registro Vicentina de Paula Oliveira, integrou com Herivelto Martins e Francisco Sena o Trio de Ouro. Era dona de uma voz potente e de grande extensão, indo do soprano (que alcança as notas mais altas) ao contralto (que canta em regiões mais graves). Recebeu os títulos de Rainha da Voz e Rouxinol do Brasil, arrebatou legiões de fãs, gravou dezenas de discos – ao todo, foram mais de 400 gravações, a maioria delas como cantora principal. Também fez muito sucesso na Argentina, onde morou por alguns anos. Participou ainda de dois filmes – “Maria da Praia” e “Milagre de Amor” e dublou os diálogos da personagem principal do filme Branca de Neve, dos Estúdios Disney.
Além de Herivelto Martins, também foi casada com Tito Climent e Manuel Nuno Carpinteiro. Faleceu no dia 30 de agosto de 1972, na cidade do Rio de Janeiro, deixando três filhos: o cantor Pery Ribeiro e Ubiratan Oliveira Martins, frutos do casamento com Herivelto Martins; e Dalva Lúcia Oliveira Climent, que Dalva e seu segundo marido, o argentino Tito Climent, adotaram em Buenos Aires.
Agende-se: Teatro da Caixa Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 280), de 23 a 25 de março, sendo sexta e sábado, às 20h; e domingo, às 19h. Ingressos, com vendas a partir deste sábado 17, a 20 e 10 reais. A compra pode ser feita com o cartão vale-cultura. Classificação livre.