A doce vitrine do Barista Coffee Bar

Doces do barista: viagem pelo mundo

O empreendimento começou pequeno, bem pequeno, aliás, no trecho da rua Moisés Marcondes, entre a avenida João Gualberto e a via rápida centro-bairro. Apenas duas mesinhas, outras duas na calçada. O Barista Coffee Bar. Estilo rústico. Iniciativa do barista campeão brasileiro Léo Moço. Agora tri, com a recente conquista do campeonato brasileiro realizado em agosto em São Lourenço (MG). Depois, instalou uma filial na rua Saldanha Marinho, projeto logo abandonado.

Há pouco mais de um ano, Léo Moço mudou para uma casa maior, no número 609 da mesma rua, onde atende de segunda a sábado, das 8h às 20h. E ampliou o negócio, agregando sanduíches e outras comidinhas ao menu, dotando o lugar de displays para a venda de vinhos paranaenses e até de cafeteiras especiais. O piso vermelho é uma homenagem ao solo vermelho das terras do café, no norte do Paraná. Moço é sócio de uma delas. Cuida do café desde o nascimento dos grãos.

Pois agora o Barista Coffee Bar vem com outra novidade: uma vitrine de doces, que classifica como “uma viagem pelo mundo”. São 10 opções: O fudge, de origem britânica, que ganha toque brasileiro com a adição de castanhas do Pará; o pão de mel, nascido na Europa, feito com especiarias e coberto de chocolate; a América do Norte é representada pelo brownie e também pelo cheesecake (que pode também ter sotaque britânico).

A Argentina está presente com as empanadas recheadas de doce de leite. Da Estônia, a sobremesa com o nome do país, com massa de pão doce com açúcar e canela. O francês Financer é um bolinho à base de amêndoas e manteiga, seco e firme por fora e úmido e macio por dentro.

E mais: charuto de Nutella, massa folhada com recheio de creme de avelã; mini torta folhada de maçã com merengue suíço; e a Banana Bread, preparada com massa de pão com farinha integral, aveia e banana.

 

Leia Também: